Fórumcast #20
12 de abril de 2019, 21h12

Atriz é parada em blitz e ouve de PM: “Sua profissão é suspeita, atores usam drogas”

Kika Kalache, ex-Globo e atualmente na Record, denunciou ação policial: “Vocês são suspeitos e isso são ordens do governador (Wilson Witzel)”, disse policial

Foto: TV Globo/Divulgação

A atriz Kika Kalache, ex-Rede Globo e atualmente na TV Record, onde atua na novela “Jesus”, denunciou que foi vítima de uma ação arbitrária por parte da Polícia Militar do Rio de Janeiro. Ela foi parada em uma blitz, na noite desta quinta-feira (11), no Leblon, quando voltava de um jantar com o marido.

Kika afirmou que ficou surpresa com a justificativa de um policial para revistar seu veículo. De acordo com a atriz, o PM a reconheceu e afirmou que a profissão de Kika é “suspeita”, porque “atores usam drogas”.

“Parei o carro e perguntei o que estava acontecendo. Ele disse que era uma blitz para procurar armas e drogas. Ri e perguntei: ‘tenho cara de suspeita?’. Ele respondeu: ‘a sua profissão é suspeita, atores usam drogas. Já parei um ator aqui hoje e ele estava com maconha. Vou ter que revistar tudo. Vocês são suspeitos e isso são ordens do governador (Wilson Witzel)’”, revelou a atriz, em entrevista ao Extra.

O carro e seus objetos pessoais acabaram revistados e, em seguida, Kika foi liberada. “O PM começou a revistar minha bolsa, a maquiagem, a checar tudo. Olhou com lanterna, olhou a mala inteira. Aí, disse: ‘a senhora não tem nada, agora vai”’.

Veja também:  Cartunista Art Spiegelman é censurado pela Marvel após críticas a Trump

Estado de choque

A atriz declarou que ainda está em estado de choque. “Pode ser uma maluquice daquele policial, mas a sensação que dá é que vai ser assim: revistem negros, surfistas, possíveis marginais, artistas, músicos. Achei isso, em 2019, muito assustador, muito significativo. Me deu medo, sabe? Vão criminalizar a gente assim?”, perguntou.

Por meio de nota, o comandante do 23º BPM diz que “não compactua com qualquer desvio de conduta de seus policiais e que vai identificar o policial, ouvi-lo e, a partir daí, tomar as providências cabíveis”.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum