Fórumcast #19
23 de março de 2019, 11h56

Barragem da Vale em MG entra em alerta máximo de risco para ruptura

“Esse risco de rompimento é real, uma vez que a empresa atestou isso para a Vale e a Vale informou à Defesa Civil”, declarou o tenente coronel Flávio Godinho, da Defesa Civil do estado

Foto: Reprodução/Globo

O risco de uma nova tragédia, como a de Brumadinho, volta a aterrorizar Minas Gerais. Moradores de três mil casas de Barão de Cocais, na Região Central do estado, teriam menos de uma hora para deixar o local, em caso de rompimento da Barragem Sul Superior, da mina de Gongo Soco. As informações são da Defesa Civil.

A estrutura, que alcançou nível três de emergência, neste sábado (23), corre o risco de entrar em colapso a qualquer momento.

“Esse risco de rompimento é real, uma vez que a empresa atestou isso para a Vale e a Vale informou à Defesa Civil”, declarou o tenente coronel Flávio Godinho, da Defesa Civil de Minas Gerais.

Representantes da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar, da Prefeitura de Barão de Cocais e da Vale discutem como será realizado o treinamento destas pessoas. Elas criticam a demora nas providências e que a medida foi tomada tarde demais.

Retirada

Cerca de 450 moradores que viviam na área de autossalvamento estão fora de suas casas desde 8 de fevereiro, quando as sirenes de alerta soaram pela primeira vez. Com o aviso de possibilidade de rompimento, a Defesa Civil tenta preparar os outros moradores que podem ser atingidos em caso de colapso da estrutura. A Vale ainda não se manifestou.

Veja também:  Bolsonaro rifa Dallagnol da PGR compartilhando post que diz que ele é "esquerdista PSol"

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum