quinta-feira, 24 set 2020
Publicidade

Bienal do Livro de Contagem (MG) é interditada por bombeiros e organização fala em censura

A abertura da terceira edição da Bienal do Livro de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, ocorreria na manhã desta sexta-feira (8), mas evento foi interditado pelo Corpo de Bombeiros. Organização diz que bombeiros pediram uma série de alterações na estrutura do evento poucos dias antes do início das atividades, mas Prefeitura de Contagem não cumpriu com o que foi solicitado. Responsáveis pela Bienal citam possível tentativa de boicote.

“O Corpo de Bombeiros solicitou uma série de modificações no espaço poucos dias antes das atividades terem início, sob justificativa de ‘informação tardia do evento’, ainda que a Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude soubesse da Bienal desde FEVEREIRO/2019”, escreveu em nota a curadoria e organização da Bienal.

Em seguida, a nota alega que a organização cuidou de refazer a estrutura conforme solicitado. Eles dizem ainda que a prefeitura da cidade, por meio da Secretaria de Esporte, Cultura e Juventude, não cumpriu com a sua parte. “Não sabemos os motivos. Coincidência ou não, isso tudo ocorreu após divulgarmos amplamente a programação e os projetos da Bienal, uma programação com 80% de atrações negras e uma equipe com 26 pessoas transexuais, travestis e transgênero”, afirmou.

A nota diz ainda que o curador da Bienal, Rafael Mansur, foi convocado há uma semana e meia para uma reunião emergencial organizada pela prefeitura, que não teve nenhum membro do Corpo de Bombeiros convidado. Durante a reunião, foram solicitadas informações como a programação, fluxo de pessoas, atividades e estrutura. “Após apresentação, a estrutura e organização foi parabenizada pela equipe presente”, diz a nota.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.