Em dia de levante contra o Bolsonaro e o genocídio, Brasil bate 500 mil mortes por Covid

Mais de 1 ano e 3 meses após o início da pandemia, Brasil vive situação de descontrole enquanto Bolsonaro segue pregando mais infecções ao invés de vacinação

As piores previsões se concretizaram. O Brasil bateu, no início da tarde deste sábado (19), a marca macabra de 500 mil mortes em decorrência da Covid-19. O número é atingido enquanto a maior parte do mundo começa a voltar ao “normal” com vacinação avançada e após mais de um ano de medidas restritivas.

No Brasil, entretanto, o atraso do governo Bolsonaro em adquirir vacinas, bem como o incentivo do presidente às aglomerações e ao desrespeito ao uso de máscaras, faz do país um perigo sanitário. Dados compilados pelo consórcio de veículos de imprensa apontam que neste sábado (19) o Brasil chegou a um total 500.022 mortos e 17.822.659 casos confirmados da Covid desde o início da crise sanitária. Até o final do dia, esses números deverão ser ainda maiores, já que há secretarias de Saúde que ainda não reuniram seus dados de infecções e óbitos nas últimas 24 horas.

Em sua live da última quinta-feira (17), não contente em promover aglomerações e boicotar a vacinação, Jair Bolsonaro chegou ao ponto de incentivar mais infecções em detrimento da imunização. “Eu já me considero, me considero, não, eu estou vacinado, entre aspas. Todos que contraíram o vírus estão vacinados, até de forma mais eficaz que a própria vacina, porque você pegou o vírus para valer. Então quem contraiu o vírus, isso não se discute, está imunizado”, disparou o presidente.

É mentira. Já está provado por cientistas e especialistas de todo o mundo que pessoas que já se infectaram podem sofrer novas infecções, inclusive mais severas e que podem levar à morte. A única solução para a crise global é a adoção do distanciamento social e a vacinação em massa, o que não ocorre no Brasil.

Para se ter uma ideia do tamanho do descontrole da pandemia no Brasil, as primeiras 100 mil mortes foram registradas 5 meses após o primeiro óbito, enquanto a marca de 500 mil foi alcançada apenas 51 dias após o país chegar aos 400 mil óbitos.

Logo após a notícia de que o país chegou a meio milhão de mortes, o governador do Maranhão, Flávio Dino, anunciou luto oficial de 3 dias em seu estado. “Todas as vidas são sagradas e o mal não pode ser banalizado. Minha solidariedade às famílias brasileiras”, escreveu o mandatário estadual.

Não à toa que, neste dia triste para o Brasil, milhões de manifestantes estão nas ruas para protestar contra Jair Bolsonaro e seu governo. Em mais de 400 cidades do Brasil e do mundo, cidadãos têm culpado diretamente o presidente pela morte de seus amigos e familiares.

Veja a lista dos atos contra Jair Bolsonaro em 409 cidades

Publicidade

Fórum, em parceria com a TV Democracia, comandada pelo jornalista Fábio Pannunzio, transmite ao vivo os atos. Assista ao vivo.

Publicidade
Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR