Blog do George Marques

direto do Congresso Nacional

05 de setembro de 2019, 07h40

Câmara aprova urgência para acordo com EUA sobre uso da base de Alcântara (MA)

O AST foi votado na semana passada na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, e mesmo recebendo críticas, foi aprovado com aval de parlamentares do PCdoB, PDT e PSB

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Um pedido de urgência atropelou o debate e o regime de urgência para o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST) foi aprovado na noite desta quarta-feira (4) na Câmara dos Deputados. O pacto, que prevê o uso do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) pelos norte-americanos, foi vencido por 330 a 98 votos no Plenário da Casa, apesar da objeção de parte da oposição contra a pressa em dar andamento ao pacto celebrado em março deste ano, entre o governo do Brasil e dos EUA.

Entre os votos contrários ao pedido de urgência estavam os do deputados Bira do Pindaré (PSB) e do vice-líder do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry, ambos membros da Bancada Maranhense.

Presidente da subcomissão permanente instalada na Comissão de  Ciência e Tecnologia para acompanhar as tratativas em Alcântara, o parlamentar mostrou contrariedade às políticas conduzidas pelo atual governo.

“Nosso apoio à aprovação do AST é apesar de Bolsonaro, um presidente vassalo dos EUA. O AST é pelo Brasil, que é maior infinitamente que Bolsonaro. Bolsonaro, o breve, passará. O Brasil fica e pode extrair imensas vantagens da política aeroespacial”, disse.

Coordenador da Frente Parlamentar da Mista em Defesa das Comunidades Quilombolas, Bira do Pindaré recordou as remoções das famílias e o incumprimento de promessas feitas à época da instalação da Base Espacial, em 1983. “Quem pode garantir que isso não vai haver deslocamento forçado? Não somos contra o desenvolvimento, mas queremos é que as comunidades sejam respeitadas”, disse.

Já o deputado Carlos Zarattini (PT-SP) destacou que o acordo impõe restrições ao desenvolvimento do programa espacial brasileiro. “O acordo impede que o Brasil utilize os recursos advindos dos lançamentos para o desenvolvimento do seu próprio programa espacial”, disse.

O AST foi votado na semana passada na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, e mesmo recebendo críticas, foi aprovado com aval de parlamentares do PCdoB, PDT e PSB.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que a votação do mérito da proposta só será feita após a Mesa Diretora resolver um questionamento do deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) sobre a votação do acordo na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional.

Chinaglia afirma que o Poder Executivo não enviou à Câmara o texto completo do acordo assinado. O deputado apontou discrepâncias entre os textos oficiais e disse que, durante a votação na comissão, foram exibidos os textos que faltavam como se houvessem sido encaminhados formalmente, o que não ocorreu.

Com a urgência do acordo aprovado, agora ele será submetido a votação no plenário da Câmara. Caso aprovado, seguirá para o Senado Federal para apreciação.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum