Blog do George Marques

direto do Congresso Nacional

Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
05 de setembro de 2019, 07h40

Câmara aprova urgência para acordo com EUA sobre uso da base de Alcântara (MA)

O AST foi votado na semana passada na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, e mesmo recebendo críticas, foi aprovado com aval de parlamentares do PCdoB, PDT e PSB

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Um pedido de urgência atropelou o debate e o regime de urgência para o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST) foi aprovado na noite desta quarta-feira (4) na Câmara dos Deputados. O pacto, que prevê o uso do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) pelos norte-americanos, foi vencido por 330 a 98 votos no Plenário da Casa, apesar da objeção de parte da oposição contra a pressa em dar andamento ao pacto celebrado em março deste ano, entre o governo do Brasil e dos EUA.

Entre os votos contrários ao pedido de urgência estavam os do deputados Bira do Pindaré (PSB) e do vice-líder do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry, ambos membros da Bancada Maranhense.

Presidente da subcomissão permanente instalada na Comissão de  Ciência e Tecnologia para acompanhar as tratativas em Alcântara, o parlamentar mostrou contrariedade às políticas conduzidas pelo atual governo.

“Nosso apoio à aprovação do AST é apesar de Bolsonaro, um presidente vassalo dos EUA. O AST é pelo Brasil, que é maior infinitamente que Bolsonaro. Bolsonaro, o breve, passará. O Brasil fica e pode extrair imensas vantagens da política aeroespacial”, disse.

Coordenador da Frente Parlamentar da Mista em Defesa das Comunidades Quilombolas, Bira do Pindaré recordou as remoções das famílias e o incumprimento de promessas feitas à época da instalação da Base Espacial, em 1983. “Quem pode garantir que isso não vai haver deslocamento forçado? Não somos contra o desenvolvimento, mas queremos é que as comunidades sejam respeitadas”, disse.

Já o deputado Carlos Zarattini (PT-SP) destacou que o acordo impõe restrições ao desenvolvimento do programa espacial brasileiro. “O acordo impede que o Brasil utilize os recursos advindos dos lançamentos para o desenvolvimento do seu próprio programa espacial”, disse.

O AST foi votado na semana passada na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, e mesmo recebendo críticas, foi aprovado com aval de parlamentares do PCdoB, PDT e PSB.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que a votação do mérito da proposta só será feita após a Mesa Diretora resolver um questionamento do deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) sobre a votação do acordo na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional.

Chinaglia afirma que o Poder Executivo não enviou à Câmara o texto completo do acordo assinado. O deputado apontou discrepâncias entre os textos oficiais e disse que, durante a votação na comissão, foram exibidos os textos que faltavam como se houvessem sido encaminhados formalmente, o que não ocorreu.

Com a urgência do acordo aprovado, agora ele será submetido a votação no plenário da Câmara. Caso aprovado, seguirá para o Senado Federal para apreciação.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum