Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
07 de março de 2018, 20h38

Câmara torna crime importunação sexual em espaço público

A importunação sexual - também conhecida como assédio - em transporte coletivo, por exemplo, era considerada apenas uma contravenção penal passível de multa. Com a aprovação de um projeto de lei, o comportamento passa a ser crime com pena de reclusão de um a cinco anos

Campanha contra assédio em ônibus de São Paulo (Reprodução)

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (7) um substitutivo da deputada Laura Carneiro (sem partido – RJ) ao projeto de lei 5452/16, da senadora Vanessa Graziottin (PCdoB – AM), que tipifica o crime de divulgação de cenas de estupro, aumenta a pena para estupro coletivo e incluiu na proposta o crime de importunação sexual (também conhecido como assédio), este último oriundo de vários projetos sobre o tema.

Um deles é o projeto 6722/2016, de autoria de Maria do Rosário (PT-RS) e Zé Carlos (PT-MA). Até então, a legislação só prevê punição para assédio sexual praticado por superior hierárquico ou ascendência inerente ao exercício de emprego, cargo ou função.

Pela proposta aprovada, a importunação sexual em espaços públicos, como ônibus ou metrô, passa a ser crime, com pena de detenção de um a cinco anos. Hoje, esse comportamento é classificado como contravenção penal, punido somente com multa. Entende-se como importunação sexual o ato libidinoso com o objetivo de satisfazer o assediador.

No ano passado, estouraram na imprensa inúmeros casos de assédio em transporte coletivo.

Leia também
Assédio no ônibus: Divulgar contribui para a reflexão e o combate a esses crimes

“Embora qualquer pessoa possa ser sujeito ativo dessa prática, esse tipo de constrangimento covarde geralmente é cometido por homens, tendo como vítimas as mulheres. Segundo ela, o projeto enfrenta o constrangimento que as mulheres enfrentam, seja no transporte coletivo, seja em qualquer ambiente público. Toda forma de assédio deve ser combatida e esta sessão será histórica neste sentido”, disse a deputada federal Maria do Rosário.

Por ter sofrido alteração, o projeto volta para apreciação do Senado.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum