Com novo recorde de mortes por Covid, Brasil tem segunda noite seguida de panelaços contra Bolsonaro

Manifestação nas janelas se tornou rotina dos brasileiros no início da pandemia em 2020 e, mais de 1 ano depois, situação é ainda mais crítica, o que tem causado revolta na população

Os brasileiros parecem estar retomando uma rotina que marcou o início da pandemia no Brasil, entre fevereiro e março de 2020. Naquela época, ao minimizar o coronavírus, Jair Bolsonaro revoltou boa parte da população, que saiu às janelas para fazer panelaços contra o presidente por mais de duas semanas seguidas.

Passado mais de um ano desde o início da crise sanitária, inúmeras cidades do país registraram a segunda noite seguida de panelaços contra o titular do Planalto nesta quarta-feira (3), dia em que o país bateu recorde no número de mortes por Covid-19 em 24 horas: foram 1.910 óbitos. Na terça-feira (2), Bolsonaro havia marcado um pronunciamento em cadeia nacional, o que motivou a a convocação do protesto. O presidente, no entanto, desistiu de falar à nação temendo os panelaços, que foram mantidos.

Além de baterem panelas, os manifestantes têm gritado a palavra “genocida” para se referir a Bolsonaro, o responsabilizando pelo agravamento da crise de saúde no país.

Também foram feitas projeções em prédios com o número de mortos em decorrência da pandemia e notícias mostrando a responsabilidade do presidente na trágica situação em que o Brasil se encontra.

Confira, abaixo, registros das manifestações.

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista e repórter especial da Revista Fórum.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR