Acaba oxigênio nos hospitais de Manaus. Pacientes são transferidos às pressas

Profissionais da área de saúde afirmam que a situação é dramática e muitas pessoas ainda vão morrer nas próximas horas por falta de assistência

De acordo com informação exclusiva da colunista da Folha Mônica Bergamo, nesta quinta-feira (14), acabou o oxigênio nos hospitais de Manaus (AM).

“Estão relatando efusivamente que o oxigênio acabou em instituições como o Hospital Universitário Getúlio Vargas e serviços de pronto atendimento, como o SPA José de Jesus Lins de Albuquerque”, afirma pesquisador Jesem Orellana, da Fiocruz-Amazônia.

O reitor da UFAM (Universidade Federal do Amazonas), Sylvio Puga, que administra o hospital Getúlio Vargas, confirmou a informação.

“Acabou o oxigênio e os hospitais viraram câmaras de asfixia”, diz ainda o pesquisador. “Os pacientes que conseguirem sobreviver, além de tudo, devem ficar com sequelas cerebrais permanentes.”

Profissionais da área de saúde afirmam que a situação é dramática e muitas pessoas ainda vão morrer nas próximas horas por falta de assistência.

Vários familiares de pacientes que estão sendo tratados em casa, parte pela falta de vagas, corriam nesta quarta-feira atrás de reabastecer os cilindros de oxigênio alugados sem sucesso.

Ao menos 30 pacientes com Covid-19 internados no HUGV (Hospital Universitário Getúlio Vargas), em Manaus, onde não há mais oxigênio, serão transferidos para o Hospital Universitário de Teresina, no Piauí, nesta quinta (14).

Com informações da coluna de Mônica Bergamo

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.