Com suspeita de Coronavírus, Bolsonaro irá à televisão pedir suspensão dos atos do dia 15

Além de pedir a suspensão dos atos que ele mesmo convocou, presidente tentará "tranquilizar" a população sobre o surto de coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro gravou, no final da tarde desta quinta-feira (12), um pronunciamento que irá ao ar em cadeia nacional de rádio e televisão, às 20h30, em que buscará “tranquilizar” a população sobre o surto de coronavírus no país.

“Gravei agora há pouco. Qual a ideia de gravar? Os casos começaram a aparecer no Brasil e estão se multiplicando. Lógico que pode aumentar bastante, tá? Mas a melhor maneira de você evitar o problema é não entrar em pânico e seguir as orientações. Iríamos passar por isso mais cedo ou mais tarde”, disse Bolsonaro ao jornal O Globo.

Assessores presidenciais, no entanto, informaram à Folha de S. Paulo que, no pronunciamento, Bolsonaro também deve pedir para que a população não compareça aos atos marcados para o dia 15 em defesa do governo que ele mesmo incentivou. Os atos, que também têm como pauta o fechamento do Congresso e do STF, já começaram a ser desmobilizados por alguns dos movimentos que estão na organização.

Bolsonaro pode estar com coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro pediu a aliados nesta quinta-feira (12) que não o visitem no Palácio do Alvorada em razão das suspeita de infecção pelo novo coronavírus após viagem aos Estados Unidos. O chefe da Secretaria de Comunicação (Secom) do governo, Fábio Wajngarten, está com a doença.

“Falei com ele agora pelo telefone. Ele disse para eu não pisar lá, porque ele acha que pode estar doente”, disse o ex-deputado Alberto Fraga ao jornalista Igor Gadelha, da Revista Crusoé.

Bolsonaro fez teste para o novo coronavírus na tarde desta quinta-feira após Wajngarten testar positivo para a doença. O secretário esteve na comitiva do ex-capitão em viagem aos EUA. O resultado do exame do mandatário será divulgado publicamente apenas na sexta-feira.

A suspeita de infecção fez o presidente cancelar uma entrevista que daria à rede CNN Brasil na sexta-feira.

Caso seja confirmada a Covid-19, Bolsonaro será o primeiro chefe de Estado a estar com a doença. Autoridades de alguns países – entre elas a ministra da Saúde do Reino Unido – já foram diagnosticadas com a infecção.

Números atualizados do Ministério da Saúde apontam que há 77 casos confirmados no Brasil, espalhados em 10 unidades da federação: São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Espírito Santo, Bahia, Alagoas, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Distrito Federal.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.