Comandos proíbem bailes funk no Rio: “ou vocês abraçam o papo, ou papo vai abraçar vocês”

Mais sensatos do que Bolsonaro, chefes do tráfico em várias cidades do estado seguiram as recomendações da OMS e proibiram aglomerações

Em consonância com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e de maneira muito mais sensata do que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), um recado na página do Baile da China, comunidade do Barro Vermelho, em São Gonçalo, assinado pela ‘Tropa do Pivete’, apelido de Leilson Ferreira Fernandes, um dos chefes da facção Comando Vermelho, dizia: “Não haverá nenhum tipo de evento na nossa comunidade para evitar a disseminação do vírus e proteger a todos”.

O mesmo recado, de acordo com reportagem de Bruna Fantti e Thuany Dossares, no jornal O Dia, foi dado por outros traficantes, de diferentes facções, na Região Metropolitana do Rio. Eles parecem respeitar o decreto estadual do feriadão de dez dias, sem aglomeração.

O serviço de inteligência da Polícia Militar informa ainda que, em São Gonçalo, as duas principais lideranças do Comando Vermelho na cidade, Wallace Batista Soalheiro, o Pixote, e Antônio Ilário Ferreira, o Rabicó, proibiram os bailes nas favelas do Salgueiro, Jardim Catarina, Coruja, Chumbada, Menino de Deus e Martins.

Eles publicaram o seguinte recado: “Estamos enfrentando um momento delicado por conta do novo coronavírus (Covid-19) e mediante a situação para evitar aglomerações não haverá nenhum tipo de evento na nossa comunidade para evitar a disseminação do vírus e proteger a todos”.

Outros chefes, como Bruno Loureiro, o Coronel, liderança do Terceiro Comando Puro, no Muquiço, Zona Oeste do Rio, seguiram na mesma direção, mas preferiram usar a própria linguagem. O recado, diz: “Fica proibido andar na comunidade sem máscara, a partir de hoje, dia 30 de março. Ou vocês abraçam o papo, ou papo vai abraçar vocês. Atenciosamente, a Diretoria”.

O Baile do Dendê, área do TCP, na Ilha do Governador, também foi suspenso. “São dez dias sem bailes (…). A facção pensa sempre no melhor para as nossas comunidades”, dizia um dos avisos, atribuídos a traficantes.

Oficialmente, a PM preferiu não se manifestar e disse que cuida somente do policiamento ostensivo.

Com informações do Dia

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.