Líder da extrema-direita espanhola anuncia que está com coronavírus

Para quem achava que o coronavírus, por ter surgido na China, era coisa de comunista, parece que nesta semana ele tem colecionado alvos na extrema-direita de vários lugares do mundo. Depois do positivo do assessor comunicacional Fábio Wajngarten – que despertou o rumor de possível contágio de Jair Bolsonaro e até de Donald Trump –, […]

Para quem achava que o coronavírus, por ter surgido na China, era coisa de comunista, parece que nesta semana ele tem colecionado alvos na extrema-direita de vários lugares do mundo.

Depois do positivo do assessor comunicacional Fábio Wajngarten – que despertou o rumor de possível contágio de Jair Bolsonaro e até de Donald Trump –, foi a vez da ultradireita europeia entrar na lista, com o deputado espanhol Santiago Abascal, que lidera a bancada parlamentar do Vox, o jovem partido que reivindica a ditadura franquista.

Em mensagem pelo Twitter, Abascal disse que “ao saber do positivo de Javier Ortega (secretário-geral do partido), iniciei minha própria quarentena e pedi a um laboratório privado um teste de covid-19 (nome científico da recente mutação do coronavírus). Meu exame também deu positivo, então seguirei trabalhando em casa. Obrigado pela preocupação de todos, embora eu me encontre razoavelmente bem”.

Oficialmente, a Espanha já contabilizou pouco mais de 3 mil casos de coronavírus, com um total de 84 falecimentos. Segundo o diario El País, o governo de Pedro Sánchez anunciou nesta semana o investimento de 14 bilhões em estrutura para enfrentar a propagação do vírus. Além disso, todos os centros educacionais foram fechados e os eventos esportivos suspensos.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.