No rastro do óleo do Nordeste
05 de novembro de 2019, 18h10

Desmatamento é responsável por quase metade das emissões de gases de efeito estufa no Brasil

Números cresceram 0,3% em 2018, mas devem disparar em 2019, segundo o Observatório do Clima

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Estimativas do Sistema de Emissões de Gases de Efeito Estufa (SEEG) do Observatório do Clima, apresentadas nesta terça-feira (5), apontam que em 2018 houve um ligeiro crescimento nas emissões, interrompendo uma sequência de queda apresentada nos anos anteriores. Em 2019, com a explosão do desmatamento na Amazônia e no Cerrado, se espera índices bem maiores.

O SEEG aponta que o país teve emissões de 1,939 bilhão de toneladas de CO2 equivalente (CO2e), um valor 0,3% maior do que o 1,932 bilhão de toneladas verificado em 2017. Segundo o organismo, as emissões decorrentes da alta de 8,5% no desmatamento da Amazônia no ano passado foram em parte compensadas por uma redução de cerca de 10% na destruição do Cerrado, o que fez as emissões por “mudança de uso da terra” crescerem 3,6%.

Tasso Azevedo, coordenador-técnico do OC e coordenador do SEEG, acredita que o Brasil – sétimo maior poluidor do planeta – ainda não adotou a redução das emissões como um propósito. “Manter as emissões brasileiras estáveis num mundo que continua aumentando as emissões é importante, mas não suficiente. O planeta precisa que as emissões sejam reduzidas com vigor nos próximos anos, e infelizmente nosso cenário de emissões para 2020 é de aumento”, afirmou.

Planos engavetados

O aumento que Azevedo se refere ao grande avanço do desmatamento na Amazônia e no Cerrado. “Nós já vínhamos numa situação delicada antes do desmonte da governança ambiental brasileira promovido pelo governo atual”, diz Carlos Rittl, secretário-executivo do OC. “Em 2019, os planos de combate ao desmatamento na Amazônia e Cerrado foram engavetados e não temos nem mesmo um esboço de plano para a implementação da NDC, que deveria ocorrer a partir do ano que vem. Na verdade, até os órgãos que deveriam implantar a NDC foram extintos pela atual administração.”

O Observatório do Clima pontua que o Brasil não cumprirá a meta estabelecida para 2020 em sua lei nacional de clima de reduzir em 80% a taxa de desmatamento na Amazônia. Mesmo que todo o desmatamento parasse hoje, a elevação detectada pelo sistema de monitoramento do Inpe nos últimos meses já nos coloca num patamar superior aos 3.925 km2 estabelecidos na lei. Com a meta de 2020 prejudicada, o país parte de uma posição pior para cumprir sua NDC, a meta do Acordo de Paris.

Confira a análise completa no Observatório do Clima


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum