Fórumcast, o podcast da Fórum
17 de março de 2019, 12h51

Documentário “Lama” promete dar voz aos atingidos pelo crime da Vale em Brumadinho

Lançamento do filme está previsto para abril e inclui plataforma de monitoramento das barragens de mineração no país

Foto: Lucas Hallel ASCOM/FUNAI

Por Marcos Hermanson, no Brasil de Fato 

Dirigido por Carlos Pronzato e Richardson Pontone, o documentário Lama – que tem lançamento previsto para a primeira semana de abril – pretende dar voz aos atingidos pelo rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, no dia 25 de janeiro deste ano.

Filmado durante quinze dias, quase imediatamente após o desastre que tirou a vida de 308 pessoas, o intuito da obra, segundo Pontone, é “amplificar as vozes das pessoas que foram atingidas e principalmente deixar em evidência que esse desastre já estava em curso”. O diretor, que também é coordenador do curso de comunicação social da UFMG, disse que, desde o rompimento da barragem de Fundão, em 2015, acompanhava a situação da mineração no país.

“[O rompimento da barragem em Brumadinho] Aconteceu na sexta-feira, eu estava em Ouro Preto. Na segunda[-feira], eu fui para lá, começamos a fazer o filme na mesma semana”, conta. “[Ouvimos] pessoas que a imprensa não ouve: moradores, atingidos, lideranças ambientais e ex-funcionários da Vale, falando como a empresa operava na região”.

Junto ao documentário, também está previsto o lançamento do site Lama: o Crime Vale no Brasil que será uma plataforma de monitoramento da mineração no país. Além do filme na íntegra, haverá mapa das barragens, conflitos e outras entrevistas que não entraram na edição final.

Quando perguntado sobre o aspecto mais marcante de sua produção, Richardson é taxativo: “A relação promíscua da mineração com esses territórios. Isso é o que ficou mais evidente. As famílias são reféns da mineração. O poder econômico toma conta de tudo: creche, escola, todo o equipamento público [com o qual] o Estado não arca, a Vale ‘dava’”, relata ele.

Lama será lançado na região do Córrego do Feijão – local do rompimento da barragem – na primeira semana de abril, ainda sem data definida. O filme também estará disponível para streaming e download.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum