Em campanha, Doria inicia vacinação infantil no mesmo local onde lançou a Coronavac

Há quase um ano, o governo paulista imunizou a enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, primeira brasileira a receber a vacina contra a Covid-19

Pré-candidato à Presidência pelo PSDB em 2022, o governador de São Paulo, João Doria, iniciará a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19 nesta sexta-feira (14) no Hospital das Clínicas.

Há quase um ano, no mesmo local, foi aplicado o primeiro imunizante contra o coronavírus no Brasil, a CoronaVac, fabricada pelo laboratório chinês SinoVac em parceria com o Instituto Butantan.

Assim como na vacinação dos adultos, Doria se antecipa ao governo federal na imunização de crianças. Jair Bolsonaro (PL) já se manifestou diversas vezes contra o tema e chegou a articular, junto com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, uma consulta pública sobre o assunto. Além disso, questionou os interesses da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em aprovar a vacina pediátrica.

Em 17 de janeiro de 2021, em uma clara provocação a Bolsonaro, o governo paulista imunizou a enfermeira do Hospital Emílio Ribas Mônica Calazans, de 54 anos. Nesta sexta-feira (14), a vacinação das crianças também será acompanhada de uma cerimônia simbólica, que começará às 12h.

Primeiras doses

As primeiras doses da vacina pediátrica da Pfizer chegaram às 4h48 desta quinta-feira (13) no aeroporto de Viracopos, em Campinas, no interior de São Paulo. O governo estadual afirmou que receberia cerca de 250 mil imunizantes para iniciar a campanha em crianças.

Saiba quando e onde vacinar as crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19

Além das crianças de 5 a 11 anos de idade com comorbidades ou deficiência, também terão prioridade indígenas e quilombolas. São Paulo calculou que pode vacinar todas as 4,3 milhões de crianças do Estado com pelo menos uma dose em, no máximo, três semanas a partir do recebimento de unidades pelo Ministério da Saúde.

Notícias relacionadas

Avatar de Carolina Fortes

Carolina Fortes

Repórter colaborativa no site Emerge Mag e antiga editora-assistente no site da Jovem Pan. Ex-repórter no site Elástica. Formada em jornalismo e faz a segunda graduação em Letras na Universidade de São Paulo (USP). Acredita no jornalismo como forma de impacto social e defende maior inclusão e representatividade.