Dr. Jairinho e Monique jogaram celulares pela janela no momento da prisão

A polícia conseguiu recuperar os aparelhos. Conversas telefônicas têm sido vitais para confirmar relatos de violência contra o menino Henry

O vereador Dr. Jairinho e Monique Medeiros, presos acusados pelo assassinato do menino do menino Henry, tentaram se desfazer dos celulares durante a chegada da Polícia Civil ao apartamento onde estavam, em Realengo.

“O casal foi encontrado em residência diferente do que foi dito em sede policial. Foram localizados na residência de uma tia do padrasto do menino. Eles tentaram se desfazer dos celulares hoje, atirando os mesmos pela janela. A Polícia conseguiu os celulares. Eles estavam no mesmo quarto, dormindo juntos, e não ofereceram resistência à prisão. Concomitantemente foi realizada uma busca e apreensão com a babá Thainá. O celular dela foi apreendido, em que estavam conversas com Monique”, disse Ana Carolina Medeiros, delegada assistente da 16ª DP.

A polícia encontrou no celular da babá Thainá uma troca de mensagens com Monique Medeiros. A conversa relata que, tanto a mãe quanto a babá, já sabiam das diversas agressões de Dr. Jairinho contra o menino Henry.

“Prints da babá avisando Monique de que Henry relatava violências foram importantes para a polícia verificar que o depoimento do casal, de que a família era harmoniosa, era mentirosa. Nessas conversas, a babá fala que Henry relatou que o padrasto o pegou pelo braço, deu uma banda e chutou. No telefone da mãe encontramos prints de conversas que foram provas relevantes. (Prints) de quase um mês antes do crime, dia 12 de fevereiro. A própria babá fala que Henry estava mancando, e que quando quis dar banho, não deixou lavar a cabeça porque estava com dor”, afirmou o delegado Henrique Damasceno. Para o titular, a casa vivia uma “rotina de violência”.

“Ficou constatado que a rotina dentro daquele apartamento era uma rotina de violência. O Henry relatou que ele sempre fazia isso. Ele era ameaçado pelo padrasto: ‘se você contar, vou te pegar. Você está atrapalhando a sua mãe'”, disse o titular da 16ª DP.

Com informações de O Tempo

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.