Fórumcast, o podcast da Fórum
29 de março de 2018, 18h23

Em grave crise financeira e sem recursos do governo Temer, UnB pode parar de funcionar

Em reunião com representantes da comunidade acadêmica nesta quinta-feira (29), a reitora Márcia Abrahão falou sobre a crise, por conta de falta de recursos repassados pelo Ministério da Educação: instituição pode fechar em agosto

Reitora Márcia Abrahão: “O MEC tem nos recebido e se mostrado sensível, mas, infelizmente, mesmo com nossas explicações e apelos, não obtivemos nenhuma resposta positiva” – Foto: Luis Gustavo Prado/Secom UnB

A tradicional Universidade de Brasília está vivendo sob a ameaça de paralisar suas atividades. De acordo com reportagem de Manoela Alcântara, do Metrópoles, a situação é desesperadora: “Se não tiver contingenciamento, a UnB para de funcionar em agosto”, afirmou a decana de Planejamento e Orçamento da instituição, Denise Imbroise, durante reunião pública para tratar da crise financeira que se abateu sobre a universidade. O rombo alcança R$ 92,3 milhões em seu orçamento para 2018.

A universidade anunciou que necessita cortar despesas, o que implicaria em redução de terceirizados, estagiários e subsídios, como o oferecido aos estudantes que se alimentam no Restaurante Universitário (RU). A medida pode aumentar em até 160% o valor das refeições, dependendo da condição financeira do aluno. Outras contenções também estão sendo analisadas.

Com o auditório lotado, a reitora Márcia Abrahão foi recebida pelos estudantes com gritos de “não aceitamos demissões. Mexeu com os terceirizados, mexeu com a gente”. Ela ouviu os protestos e conversou brevemente com a imprensa. De acordo com a gestora, foram realizadas diversas reuniões com o Ministério da Educação (MEC) para tentar conseguir recursos. “O MEC tem nos recebido e se mostrado sensível, mas, infelizmente, mesmo com nossas explicações e apelos, não obtivemos nenhuma resposta positiva”. Além de não haver retorno prático quanto aos pedidos da UnB, a pasta sinalizou um cenário ainda mais duro, com a possibilidade de publicação de um novo decreto de contingenciamento, nos próximos dias, alertou.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum