Fórumcast #20
21 de julho de 2019, 22h30

Em igreja de terra natal de Lula, Antônio Nobrega se apresenta com críticas à família Bolsonaro

Em performance em igreja pernambucana, o artista fez referências ao Caso Queiroz e a outros escândalos do governo Bolsonaro; Nóbrega foi ovacionado com gritos de "Lula Livre"

Antônio Nóbrega e apresentação na Igreja Matriz de Guaranhuns ((Montagem)

Aclamado pelo público ao som de “Lula Livre”, o artista Antônio Nobrega se apresentou na igreja Matriz de Garanhuns (PE), cidade natal de Lula. Sua performance estava cheia de críticas a Jair Bolsonaro e seus filhos, ressaltando alguns casos recentes que chamaram a atenção.

A canção inicia dizendo que “Tudo vai se desmontando, tudo vai se quebrando, quem quiser é só olhar” e continua com frases como “Mais um pilantra no país da malandragem querendo levar vantagem e seu laranjal plantar”, fazendo referência ao caso de Fabrício Queiroz, ex-motorista e ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PSL), filho do presidente,  e que foi pivô de uma das primeiras crises do governo.

Nobrega continua com mais cutucadas ao governo: “E quem quiser ser o novo embaixador não precisa ser doutor (…) Basta ser miliciano e um hamburguer fritar”, desta vez apontando para o outro filho do capitão, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que foi nomeado embaixador dos EUA.

Assista ao vídeo que foi publicado no Twitter oficial de Lula:

Oposição ao governo

Veja também:  Tutti buona gente: tio preferido de Michelle Bolsonaro foi preso por integrar milícia

Essa não é a primeira vez que Antônio Nóbrega se posiciona contra Bolsonaro. Junto a outras personalidades, o artista assinou um documento no ano passado contra a candidatura do então deputado do PSL. O manifesto foi intitulado “Democracia Sim” e declarava que “Bolsonaro é ameaça ao nosso patrimônio civilizatório primordial”.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum