Embrulha pra viagem: E se as cantadas de Carnaval fossem assim…

Vídeo humorístico escancara os argumentos utilizados para deslegitimar denúncias de assédio ao inverter a situação e colocar um homem denunciando uma "cantada" praticada por mulheres; assista

“O que estava fazendo sozinha?”; “Estava pedindo”; “Foi só uma cantada”. A maioria das mulheres que já passaram por uma situação de assédio, certamente, já ouviram essas frases.

A tentativa de minimizar o trauma sofrido e culpabilizar a vítima por ter passado por uma situação de assédio é comum, inclusive, em delegacias de polícia, quando casos assim são denunciados.

Para escancarar a dificuldade que mulheres têm de serem legitimadas ao denunciarem um assédio, o canal de humor Embrulha pra Viagem produziu um vídeo em que os papéis são invertidos: um homem que denúncia a uma delegada de polícia um assédio sofrido durante um bloco de carnaval.

Ao apresentar um homem no lugar de uma mulher na condição de vítima, os argumentos para o deslegitimar parecem absurdos, mas são exatamente os mesmos ouvidos por mulheres em situações assim.

“Marque aqui aquele seu amigo que confunde sensualidade e alegria, como entrada permitida”, diz a descrição do vídeo.

Assista.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.