Fórumcast #20
24 de fevereiro de 2019, 16h08

Empresária espancada por quatro horas acredita ter sido dopada pelo agressor

Elaine informou que começou a perder os sentidos após fazer um brinde com Vinícius. Ao acordar, já começou a ser esmurrada por ele. "Durante as quatro horas que fui espancada, ele só dizia para eu calar a boca”, conta.

A empresária Elaine Caparroz, mãe do lutador Rayron Gracie - Reprodução/Facebook

A empresária Elaine Caparroz, 55 anos, que sofreu tentativa de feminicídio ao ser espancada por quatro horas pelo lutador de jiu-jítsu Vinícius Batista Serra, 27 anos, disse neste domingo (24), em entrevista ao jornal O Globo, que acredita ter sido dopada pelo agressor. Elaine informou que começou a perder os sentidos após fazer um brinde com Vinícius. Ao acordar, já começou a ser esmurrada por ele.

“Em determinado momento da conversa, comecei a perder os sentidos. Era como seu estivesse num plano real do nosso encontro e esse plano real tivesse se transformado em sonho. De repente, mudou a dimensão da realidade para mim. Eu perdi a noção, era como se eu estivesse delirando. Ainda lembro dele já no quarto sem camisa, com o braço aberto dizendo para eu deitar no braço dele para dormimos juntos. Eu disse ‘ok’e perdi os sentidos. Quando acordei, já estava sendo esmurrada por ele. Acho com 99,9% de certeza que fui dopada por ele. Eu não tinha bebido tanto assim para acontecer isso”, disse ele.

Veja também:  PSOL vai à PGR para barrar censura na Ancine e acusa Bolsonaro de improbidade

A empresária disse ainda acreditar que Vinícius já se aproximou dela com má intenção. Segundo ela, o lutador chegou a dar um nome falso na portaria do seu edifício.

“O interfone tocou e disseram que Felipe queria subir para falar comigo. Disse que não estava aguardando nenhum Felipe, e aí disseram que era Vinicius Felipe. Pedi para o funcionário do prédio confirmar se era o Vinicius Serra. Ele perguntou e Vinícius disse que era sim o Vinicius Serra e por isso deixei subir. Agora, que a gente analisa as atitudes dele, dá para saber que ele tinha intenção de fazer algum ruim comigo. Durante as quatro horas que fui espancada, ele só dizia para eu calar a boca”, conta.

Segundo Elaine, Vinícius também insistiu para que eles se encontrassem no apartamento, após saber que ela morava sozinha. Eles já haviam marcado encontros em outros lugares, mas acabavam sempre cancelando. A empresária disse que, após oito meses de conversa no Instagram, o jovem havia ganho sua confiança.

Veja também:  Trump quer comprar a Groenlândia; Dinamarca diz que território "não está à venda"

Elaine prestará depoimento na 16ª Delegacia de Polícia, na Barra da Tijuca, na segunda (25). Ela diz que pedirá à polícia para não voltar a encontrar Vinícius, mas que lutará por Justiça até o fim.

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum