Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
14 de novembro de 2019, 10h44

Entrevista de trineto da princesa Isabel levanta hashtah #Robespierre

A internet não perdoou e partiu pra cima do príncipe com a hashtag homenageando o líder revolucionário francês que guilhotinou o rei Luís XVI e sua esposa, a rainha Maria Antonieta

Imagem: Wikipedia

Entrevista do trineto da princesa Isabel, Rafael Antonio Maria José Francisco Gabriel Gonzaga de Orleans e Bragança, de 32 anos, ao jornal O Estado de S.Paulo levantou nas redes a hashtag #Robespierre. O “príncipe” afirmou, nesta quinta-feira (14), que busca uma “princesa” para se casar e manter a linha sucessória da família real brasileira.

“A tradição pede que seja um casamento dinasta (entre membros de dinastias e que tenham o mesmo status)”, afirma ele, que gosta de ser chamado “simplesmente” de dom Rafael de Orleans e Bragança por deter o título de “príncipe”.

A internet não perdoou e partiu pra cima do príncipe com a hashtag homenageando o líder revolucionário francês que guilhotinou o rei Luís XVI e sua esposa, a rainha Maria Antonieta (leia detalhes no final do texto).

Veja alguns tuítes abaixo:

Robespierre

Maximilien Robespierre foi uma figura central no processo da revolução francesa e seu rigor o levou a executar na guilhotina os suspeitos de serem anti-revolucionários e ganhou o apelido de “Incorruptível”.

O rei Luís XVI foi julgado como traidor e condenado à morte, sendo executado na guilhotina em janeiro de 1793. Sua esposa, a rainha Maria Antonieta, seria morta no mesmo ano. Robespierre assina a sentença e comenta que “o rei devia morrer para que o país pudesse viver”.

Robespierre levou a cabo importantes mudanças sociais como a abolição da escravidão nas colônias, a elaborar a Constituição Francesa de 1793 ou o estabelecimento do culto ao Ser Supremo, com o objetivo de substituir a religião católica.

 

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum