Escadão da Marielle começa a ser revitalizado: “vamos arrumar quantas vezes forem necessárias”

Carolina Iara, co-vereadora da Bancada Feminista do PSOL em São Paulo, fez uma chamada em suas redes para a revitalização

Carolina Iara, co-vereadora da Bancada Feminista do PSOL em São Paulo, escritora, cientista social e travesti, fez uma chamada, na manhã deste sábado (31), em sua conta do Twitter, para a restauração do Escadão da Marielle.

“Vamos arrumar e enfrentar os ataques ao legado de Marielle quantas vezes for necessário! Se querem destruição da imagem e das lutas dela, respondemos com construção”, afirmou a ativista.

O painel do artista Raulzito, que fica entre as ruas Cristiano Viana e Cardeal Arcoverde, em Pinheiros, zona oeste da capital paulista, foi vandalizado na madrugada de sexta-feira (30). A imensa figura do rosto de Marielle, que é circundado por palavras de ordem e de protesto na escadaria que liga duas vias paralelas em níveis diferentes do bairro de Pinheiros, foi parcialmente pintada com tinta vermelha e pichada com desenhos obscenos e com o número ‘666’, que remetem a grupos neonazistas.

Há também uma saudação ao bandeirante Borba Gato, que teve a estátua erguida em sua homenagem incendiada no último (24) por membros de um grupo organizado que se identifica como Revolução Periférica.

A Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo vai destinar R$ 10 mil do orçamento do Museu de Arte de Rua (MAR) para a restauração do painel, que começa neste sábado.

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR