Fórumcast #19
17 de abril de 2018, 12h19

Estado debilitado impede que oficiais de Justiça citem João Gilberto em ação de interdição

Músico está no centro de uma briga familiar, que coloca em oposição os irmãos Bebel Gilberto e João Marcello contra Claudia Faissol, mãe de Luiza, a filha mais nova do cantor

Foto: Divulgação

A briga familiar envolvendo o músico João Gilberto, que já dura meses, teve mais um capítulo. Segundo o blog de Lauro Jardim, em O Globo, as oficiais de Justiça que foram à casa dele para citá-lo, em ação de interdição movida por sua filha Bebel, não conseguiram efetivar o ato, em consequência do estado de saúde extremamente debilitado do artista.

Segundo a oficial de Justiça Renata Milanez, em um documento enviado ao juiz Renato Lima Charnaux Sertã, da 5ª Vara de Órfãos e Sucessões do Rio de Janeiro, João Gilberto, de 86 anos, não tinha mínimas condições de ser citado: “Após as apresentações, conversamos com o senhor João Gilberto, onde realizamos diversas indagações que nos levaram a concluir que, aparentemente, naquele momento, ele não tinha condições de ter entendimento da natureza do ato citatório”. A oficial de Justiça afirmou que, por isso, deixou de citá-lo.

Para tentar citar o criador da Bossa Nova, as oficiais de Justiça foram a um imóvel no bairro da Gávea. Até então, a notícia que se tinha é que João Gilberto ainda morava no apartamento em que reside há décadas no Leblon. Quem atendeu a porta foi a portuguesa Maria do Céu, que disse às oficiais de Justiça ser a “companheira” do músico, centro de um conflito familiar, que coloca em oposição os irmãos Bebel Gilberto e João Marcello contra Claudia Faissol, mãe de Luiza, a filha mais nova do cantor.

Veja também:  Bolsonaro debocha da Folha e chama Bolsa Família de "condução coercitiva"

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum