Fórumcast, o podcast da Fórum
10 de setembro de 2019, 13h06

“Eu deveria contratar o prefeito do Rio de Janeiro para promover meu próximo livro”, ironiza autor de HQ censurada

Jim Cheung disse que “é maravilhoso ver o povo brasileiro se posicionando e manifestando apoio à comunidade LGBTQ”, mas ressaltou que ainda há um longo caminho para que haja verdadeira “igualdade”

Página do gibi 'Vingadores - A Cruzada das Crianças'. - Foto: Reprodução/Twitter

Jim Cheung, ilustrador britânico, reagiu com bom humor à polêmica provocada pelo prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, que censurou o HQ de sua autoria publicado em 2010. “Vingadores: a Cruzada das Crianças” tinha sido proibido de ser exibido na Bienal do Livro do Rio por mostrar um beijo entre dois personagens masculinos.

“Eu deveria contratar o prefeito do Rio de Janeiro para promover meu próximo livro”, ironizou Cheung, se referindo ao fato de que todos os exemplares foram esgotados na Bienal, logo após Crivella anunciar que fiscais confiscariam a publicação.

Se você curte o jornalismo da Fórum clique aqui. Em breve, você terá novidades que vão te colocar numa rede em que ninguém solta a mão de ninguém

Aos 47 anos, o ilustrador mora no Reino Unido e assina “Vingadores: a Cruzada das Crianças” junto com o roteirista norte-americano Allan Heinberg.

Em entrevista à BBC News Brasil, o artista afirmou que ficou emocionado ao ver os brasileiros defendendo os direitos da comunidade LGBTQ e a liberdade de expressão. “É maravilhoso ver o povo brasileiro se posicionando e manifestando apoio à comunidade LGBTQ”.

Longo caminho

Contudo, ele ressaltou que o caso mostra que ainda há um longo caminho a ser percorrido para que haja verdadeira “igualdade”.

“O fato de essa história ter alcançado manchetes demonstra as várias faces da sociedade moderna. Mostra que as comunidades estão aceitando suas diferenças e diversidade, mas também revela a dificuldade que ainda enfrentamos na busca por igualdade a todos”, acrescentou. “Eu aplaudo o povo brasileiro por se unir nesse protesto”.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum