Falta matéria-prima para 68% das empresas em produção pós-pandemia, diz pesquisa da CNI

Alta nos preços dos produtos também é uma dificuldade enfrentada por 82% das empresas

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou um estudo que mostra as dificuldades do setor em retomar a produção após a crise econômica do coronavírus. Segundo o levantamento, 68% das empresas estão com dificuldade em comprar matérias-primas no mercado nacional. Entre as que compram insumos importados, 56% relataram dificuldade.

A pesquisa também mostra que 82% das empresas perceberam alta nos preços, sendo que 31% falam em alta acentuada. A pesquisa contou com a participação de 1.855 empresas, entre 1º e 14 de outubro, em 27 setores das indústrias de transformação e extrativa.

“A economia reagiu em uma velocidade acima da esperada. Assim, tivemos um descompasso entre a oferta e a procura de insumos. E tanto produtores quanto fornecedores estavam com os estoques baixos”, afirma o presidente da CNI, Robson de Andrade, em entrevista ao UOL. “Além disso, temos a forte desvalorização do real, que contribuiu para o aumento do preço dos insumos importados”, completa.

A pesquisa aponta ainda que 44% das empresas dizem estar com dificuldade para atender os clientes, seja por falta de estoques (47%), procura maior que a capacidade de produção (41%), incapacidade de aumentar a produção (38%), problemas de logística (13%), inadimplência dos clientes (4%), entre outros.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.