O que o brasileiro pensa?
27 de janeiro de 2020, 06h50

Família é morta a tiros em discussão de trânsito no Rio Grande do Sul

Desde que assumiu a presidência, Bolsonaro editou oito decretos que facilitam a posse e porte de armas no país

Foto: Brigada Militar/Divulgação

Um homem e uma mulher, assim como um de seus dois filhos, foram assassinados a tiros em uma discussão de trânsito na Estrada do Verejão, extremo sul de Porto Alegre. O crime aconteceu na tarde deste domingo (26) quando a família retornava de um passeio nas praias da capital.

O filho do casal, Gabriel Zanetti, chegou a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu. O outro filho do casal, de 8 anos, e a namorada de Gabriel, que também estavam no carro, não sofreram ferimentos.

O casal assassinado foi identificado como Rafael Zanetti Silva, 45 anos, e a esposa dele, Fabiana da Silveira Innocente Silva, 43. O crime aconteceu por volta das 15h, horário em que a Polícia Militar foi acionada.

Após uma colisão entre o Citroën Aircross, onde estava a família, e uma Ford EcoSport, o motorista deste último seguiu o grupo por alguns metros, atravessou na frente do Citroën e forçou sua parada. Ele então desceu, sacou uma arma e disparou cerca de seis tiros contra a família. O autor dos disparos fugiu e ainda não foi localizado.

Brigas de trânsito

Levantamento feito pelo Fantástico, da TV Globo, aponta que ao menos 39 pessoas morreram em 2019 por brigas de trânsito, sendo 23 delas por arma de fogo. O ano teve um aumento de 50% nos registros de armas em comparação com 2018, número que foi amplamente comemorado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Desde que assumiu a presidência, o ex-capitão editou oito decretos de armas. A mudança na legislação facilitou a concessão de porte de armas, incluindo o direito de compra de fuzil, assim como a sua posse.

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum