Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
06 de junho de 2019, 18h24

Feminista, advogada de Neymar é expulsa de associação e se defende nas redes

Maíra Fernandes, por ter aceitado defender Neymar no caso em que o jogador é acusado de estupro, foi expulsa de uma entidade de defesa dos direitos da mulher; pelas redes sociais, advogada se defendeu: "Uma falsa acusação de estupro não ajuda a causa feminista"

Reprodução/Facebook

A advogada Maíra Fernandes, contratada pela equipe do jogador Neymar Jr. no caso em que o atacante é acusado de estupro, se defendeu após ser expulsa do Comitê da América Latina e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher (Cladem). A defensora, que reafirmou ter uma trajetória como ativista feminista, disse estar convencida de que “se trata de uma falsa acusação de estupro”.

Em publicação no Facebook, a advogada disse estar tranquila com o caso. “O que vi me deixou em tudo confortável para exercer a defesa do cliente, por compreender que uma acusação criminal injusta destrói a vida de uma pessoa e por entender que uma falsa acusação de estupro não ajuda a causa feminista. Uma mulher é estuprada a cada 11 minutos no país. Um registro falso de estupro não contribui em nada para diminuir ou combater esse crime”, publicou.

Confira a nota completa abaixo:

Fui procurada para defender o jogador Neymar Jr, por dois advogados que muito admiro e que sempre foram muito próximos da causa feminista, Davi Tangerino e Salo de Carvalho. Pedi para analisar os autos e me convenci, absolutamente, de que se trata de uma falsa acusação de estupro. De modo geral, a advocacia criminal prescinde desse tipo de análise, por amor ao direito de defesa. Mas, no meu caso, pela minha trajetória como feminista, na defesa dos direitos das mulheres, essa análise era importante. O que vi me deixou em tudo confortável para exercer a defesa do cliente, por compreender que uma acusação criminal injusta destrói a vida de uma pessoa e por entender que uma falsa acusação de estupro não ajuda a causa feminista. Uma mulher é estuprada a cada 11 minutos no país. Um registro falso de estupro não contribui em nada para diminuir ou combater esse crime. Espero poder, ao lado dos demais colegas, contribuir para provar a inocência de um rapaz que, famoso ou não, não cometeu o crime imputado a ele. A minha trajetória como feminista, ativista de direitos humanos e advogada criminal é longa e conhecida. Sempre me pautei pela defesa da verdade e sempre fui fiel a valores e preceitos éticos, tanto em minha militância, quanto em minha atuação profissional. Nesse episódio, me mantenho reta nessa direção e estou tranquila por defender a justiça e a verdade.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum