Fórumcast #20
28 de abril de 2019, 08h24

Fim do Mais Médicos pode provocar 100 mil mortes precoces no país

Conclusão é de dois estudos realizados pelo Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia, em colaboração com a Universidade Stanford, nos EUA, e do Imperial College, em Londres

Foto: Arison Jardim/ Secom

O resultado das ações inconsequentes de Jair Bolsonaro e seu governo pode representar uma verdadeira tragédia de saúde pública no Brasil.

Segundo dados de dois estudos realizados pelo Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (UFBA), em colaboração com pesquisadores da Universidade Stanford, nos EUA, e do Imperial College, em Londres, o país pode registrar 100 mil mortes consideradas evitáveis até 2030, em razão da eventual paralisação do programa Mais Médicos.

Outro fator que pode colaborar para esse quadro assustador, de acordo com a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, é o congelamento de investimentos federais na atenção básica de saúde no país, com a chamada PEC de gastos.

Projeção

Um dos estudos avaliou dados de 5.507 municípios brasileiros, em uma projeção de 2017 até 2030. A pesquisa não inclui as mortes em pessoas maiores de 70 anos.

Conforme indica o levantamento, as principais causas de óbitos seriam em consequência de doenças infecciosas e deficiências nutricionais.

Um dos estudos foi publicado na BMC Medicine, uma das mais conceituadas revistas médicas do mundo.

Veja também:  Em carta à ONU, governo Bolsonaro insiste na extinção de parte dos conselhos de participação social

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum