Fórumcast, o podcast da Fórum
22 de dezembro de 2017, 17h56

Fiscalização flagra trabalho escravo em vila turística badalada do Ceará

Dois operários da construção civil foram resgatados nas obras de uma pousada na paradisíaca Jericoacoara.

Dois operários da construção civil foram resgatados nas obras de uma pousada na paradisíaca Jericoacoara.

Da Redação*

A badalada Jijoca de Jericoacoara, conhecida rota turística no Ceará, a 300 quilômetros de Fortaleza, teve um flagrante de trabalho escravo durante ação de fiscalização. De acordo com o Ministério do Trabalho, foram resgatados um pedreiro e um servente em obra de uma pousada na Vila de Jericoacoara, naquele município. “Os trabalhadores foram encontrados em péssimas condições de vida e trabalho, vítimas de irregularidades trabalhistas e enfrentando grave e iminente risco de vida”, diz comunicado.

Segundo o informe, os operários “dormiam precariamente no próprio local de trabalho, em redes armadas sobre os entulhos e restos de material da construção em um dos quartos da futura pousada; laboravam na mais completa informalidade, sem carteira de trabalho assinada; bebiam água retirada diretamente das torneiras, sem qualquer processo de filtragem ou purificação, em copos coletivos, o que os expunha a riscos de contaminação e a doenças infectocontagiosas”. Além disso, “o banheiro era bastante precário, sujo, desprovido de papel higiênico, escuro, sem energia elétrica, com vaso sanitário sem tampo”. Também não havia local adequado para preparar ou consumir refeição. Isso era feito com os trabalhadores “em pé ou sentados sobre os escombros”.

Veja também:  "Os tempos são duros, mas já foram piores", diz Juca Kfouri após demissão da ESPN

Na fiscalização feita pela Superintendência Regional de Trabalho do Ceará (SRT-CE), com a Procuradoria do Trabalho e a Polícia Federal, foram constatadas outras irregularidades “que levavam a uma situação de extremo perigo para a segurança dos trabalhadores, como instalações elétricas precárias, com gambiarras e fiações expostas, com risco permanente e iminente de choques elétricos e incêndios, quadro agravado pela inexistência de extintores”. A obra foi embargada.

Segundo o comunicado, os dois trabalhadores receberam as verbas rescisórias, pagas pelo empregador, que também liberou indenização por dano moral. Foram lavrados mais de 40 autos de infração.

*Com informações da Rede Brasil Atual

Foto: Divulgação

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum