terça-feira, 22 set 2020
Publicidade

“Foi um soco”: manifestantes levam cartazes a bar acusado de racismo e agressão

A mobilização contra o bar O Torto, cujo dono, Magrão, foi acusado de agredir uma jovem negra que havia dito que ele foi racista com ela, reuniu um grupo de manifestantes na frente do estabelecimento na noite desta quarta-feira (5). Eles levaram cartazes e gritaram palavras de ordem.

Uma placa “foi um soco” pode ser vista na mão de vários dos presentes, denunciando a agressão promovida pelo dono do bar contra uma jovem que denunciou que o proprietário tinha sido racista com ela. “Ele começou a gritar que ela não ia entrar no bar. Acho que teve um momento que ela começou a gritar mais e jogou cerveja nele. Nisso ele já foi pra cima da menina e deu um soco na cara dela. E começou a voar garrafa pra tudo quanto é lado e as pessoas começaram a correr”, disse Ana Rivelles, uma das testemunhas.

Em frente ao bar, o grupo começou a puxar palavras de ordem apontando o racismo da ação. “Torto racista, Torto racista”, gritavam. Veja vídeo.

Com a reverberação do caso ocorrido na última madrugada, diversos usuários foram às redes relatar outros episódios em que Magrão estaria envolvido. “São vários relatos de agressão a homossexuais, moradorés de rua, clientes, grafiteiros, entre outras acusacões tão graves quanto. hoje tem protesto para boicotar o bar, no momento em que vivemos em nosso país é totalmente dispensável um bar deste nível sem empatia pelos clientes”, diz a convocatória do protesto.

Foto: Eduardo Matysiak

Foto: Eduardo Matysiak

Foto: Eduardo Matysiak

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.