Fórumcast, o podcast da Fórum
14 de abril de 2019, 10h44

General Heleno, sobre fuzilamento de família no RJ: “Comandante deu uma bobeada”

Ministro do Gabinete de Segurança Institucional adotou o mesmo tom de Bolsonaro, que chegou a afirmar que "o Exército não matou ninguém" na ação desastrada que culminou na morte de um músico no RJ, e de Moro, que classificou o fuzilamento como um "incidente"

General Augusto Heleno, que chegou a reclamar da aposentadoria de R$19 mil que recebe como militar (Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil)

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (CGI), general Augusto Heleno, afirmou neste sábado (13) que o comandante da operação desastrada do Exército que culminou na morte de um músico no Rio de Janeiro “deu uma bobeada”.

No dia 12, militares fuzilaram o carro de uma família negra na zona oeste da capital fluminense com 80 tiros em uma ação que chocou o país. O músico Evaldo Rosa dos Santos morreu no local.

“Tudo indica, pelas circunstâncias, que foi uma bobeada. O próprio ministro da defesa disse que foi lamentável. Não teve o inquérito ainda. Vamos aguardar o inquérito”, disse ao portal UOL durante um evento do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) em São Paulo.

Leia também
80 tiros: “Isso em qualquer lugar do mundo faria o país parar”, diz Douglas Belchior

Heleno adotou, ao tratar do assunto, o mesmo tom do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Bolsonaro chegou a afirmar que “o Exército não matou ninguém”. Já o ex-juiz de Curitiba classificou o episódio como um “incidente” e disse que “pode acontecer.

Veja também:  Partido Novo e João Amoêdo tentam desesperadamente se desvincular de Ricardo Salles

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum