Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
14 de junho de 2019, 10h24

Greve geral: Petroleiros paralisam atividades em oito estados e protestam contra desmonte na Petrobras

“Não podemos continuar assistindo a esse desmonte que acontece no nosso país e achar que tudo isso é normal”, diz José Maria Rangel, coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros

Petroleiros paralisados na Greve Geral deste dia 14 de junho (foto: site FUP).

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) aproveitou a Greve Geral desta sexta-feira (14) para iniciar a paralisação da sua categoria, que foi uma das primeiras a se mobilizar durante a jornada.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Além de apoiar as demandas da Greve Geral, contra o desmonte da Previdência impulsado pelo projeto de Paulo Guedes e Jair Bolsonaro e em favor de políticas públicas que recuperem a atividade econômica, gerando empregos, com trabalho decente e renda digna, os petroleiros também se protestam contra a privatização do sistema Petrobras, em defesa da soberania nacional e da utilização dos recursos naturais do país em benefício da população brasileira.

Em vídeo divulgado nas redes sociais, o coordenador-geral da FUP, José Maria Rangel afirmou que “nós não podemos continuar assistindo esse desmonte que acontece no nosso país e achar que tudo isso é normal”. Rangel também critica o atual governo, que ele classifica como “um governo fake news, e as revelações do site The Intercept mostram que tudo o que vinhamos dizendo desde 2015 era verdade”.

Nas primeiras horas da madrugada, os trabalhadores cortaram a rendição nos turnos de nove refinarias da Petrobrás, em oito estados do país: Duque de Caxias (Reduc/RJ), Gabriel Passos (Regap/MG), Landulpho Alves (Rlam/BA), Abreu e Lima (PE), Manaus (Reman), Paulínia (Replan/SP), Mauá (Recap/SP), Presidente Getúlio Vargas (Repar/PR), Alberto Pasqualini (Refap/RS).

Também estão paralisados o Terminal Aquaviário de Suape (PE), a Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (BA), a Termelétrica Aureliano Chaves (MG), a unidade de processamento de xisto SIX (PR) e a Araucária Nitrogenados (PR). Contudo, na Bacia de Campos (RJ), a categoria realiza uma operação padrão nas plataformas, com execução de todos os procedimentos.

Segundo a FUP, a greve também conta com apoio e participação dos trabalhadores administrativos e de outras unidades do Sistema Petrobrás.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum