Grupo que reúne bancos e transnacionais expulsa Carrefour após assassinato de João Alberto

Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial diz que é "criminoso um ambiente empresarial em que um cidadão entre para fazer uma compra e saia morto"

A Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial, grupo que reúne empresas transnacionais, como a Coca-Cola, e bancos desligou “por tempo indeterminado” o Carrefour após a repercussão do assassinato de João Alberto Silveira Freitas por seguranças de uma loja da rede em Porto Alegre na última quinta-feira (19).

“Os acontecimentos de ontem, dia 19/11/2020, denotam e remetem inexoravelmente a um histórico dos quais não podemos nos furtar. Portanto, o Carrefour seguirá desligado por tempo indeterminado das suas atividades e a participação na Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial”, diz o grupo em nota divulgada no site da iniciativa.

O texto ainda repudia o espancamento e assassinato de Beto e diz que é “criminoso um ambiente empresarial em que um cidadão entre para fazer uma compra e saia morto”.

“É conivente todos aqueles que se omitiram e não tomaram as medidas para que essa morte fosse evitada. Inclusive os que se calam”, diz a nota.

Além da Coca-Cola, o grupo reúne empresas de capital aberto, como a Magazine Luiza, e transnacionais, como Cargil e Ambev, além dos principais bancos e conglomerados financeiros que atuam no Brasil.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.