quarta-feira, 23 set 2020
Publicidade

Jogador de polo aquático vítima de racismo pede que Bocardi faça retratação ao vivo

Leonel Diaz, jogador cubano de polo aquático no Clube Pinheiros e sobrinho de um dos ícones do esporte no país, o também cubano Barbaro Diaz, disse que vai pedir ao apresentador do Bom Dia São Paulo, Rodrigo Bocardi, uma retratação ao vivo no programa. Na semana passada, o jornalista questionou o jovem se ele estava indo ao clube “pegar bolinhas” de tênis.

Em entrevista, Diaz reconheceu que o comentário foi “mal-intencionado”, já que seu uniforme não se parece com o dos funcionários que cumprem a função de pegar bolinhas no clube. “Foi um pouco mal-intencionado, já que as cores do clube são azul e preto, e a blusa dos garotos que repõem as bola de tênis no clube não era parecida com a minha, o único detalhe que tinha de igual era o símbolo da entidade”, disse.

“Também gostaria de falar que não fiquei ofendido, porque se eu fosse pegador de bolinha, seria com muito orgulho, já que grandes atletas fizeram o mesmo. Enfim, pra finalizar eu quero que o âncora se retrate ao vivo, já que o comentário que ele fez foi ao vivo”, continuou Leonel.

O questionamento de Bocardi foi visto como preconceituoso e racista, já que Leonel é negro e estava de metrô a caminho de um dos clubes mais classe alta da cidade. “E eu tava achando que eram meus parceiros que me ajudam nas partidas”, disse o apresentador.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.