O que o brasileiro pensa?
07 de março de 2020, 07h49

Jovem pede ajuda para o pai que, desempregado, montou uma barraca de lanches e não vendeu nada

Caso comovente do Rio de Janeiro viralizou nas redes sociais e internautas formaram uma rede de solidariedade; confira

Reprodução/Twitter

Uma postagem feita por uma jovem do Rio de Janeiro chamada Tália vem comovendo internautas ao longo da semana. A garota expôs a dramática situação de seu pai, que foi demitido de seu emprego e, com o último salário, investiu em uma pequeno negócio: vender lanches em uma mesa montada em uma praça no bairro onde mora.

Na imagem, que tocou usuários das redes sociais, o homem aparece sentado de cabeça baixa, nitidamente triste por, segundo sua filha, não ter vendido nada no seu primeiro dia da nova empreitada.

“Esse homem da foto é meu pai, homem simples que já tentou de tudo nessa vida. Já foi pedreiro, já tentou ser vereador kkk, já tentou ser famoso, já foi manteiro e até cobrador de ônibus. Infelizmente, nesse último emprego dele, ele foi despedido. E o último salário dele ele investiu em máquinas pra fazer lanches pra vender a rua, temos de TUDO!!! Hoje foi nosso primeiro dia na pracinha perto da nossa casa vendendo, e na foto de cima, é ele pensativo por não ter vendido nada hoje”, escreveu a jovem.

Apesar da situação, a garota se mostrou otimista e pediu ajuda. “Acredito que tudo tem um propósito, e que nada é em vão. Estamos lutando, e sei que Deus é justo! Quem puder passar na Praça do sossego pra dar uma força e comprar um salgado ou uma pizza, ficaria imensamente feliz!”, postou.

A publicação surtiu efeito. Em pouco tempo, a postagem viralizou e inúmeras pessoas compareceram à praça para comprar os lanches.

“Agradeço imensamente às pessoas que compareceram. BOMBOU!”, disse Tália.

“Pô, o Sr ficou muito feliz pelo que eu tava vendo, sorriso no rosto e super alegre rs. Ainda falei brincando com ele ‘Agora não dá pra ficar mais pensativo, né? Kkkk’. eEe começou a rir e agradecer a Deus e a filha pelas vendas. Comprei os 5 últimos salgados hehehe”, escreveu o internauta Emerson Touré.

E a rede de solidariedade não parou por aí. Dezenas de pessoas que não moram no Rio de Janeiro também decidiram ajudar e passaram a pedir a conta bancária do homem para que pudessem fazer doações. Uma delas foi a escritora mineira Isabela Freitas.

“Galera, muito obrigada a cada um que doou. Vocês são incríveis!”, agradeceu a menina que mudou completamente a situação desoladora do pai.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum