Fórumcast, o podcast da Fórum
13 de setembro de 2019, 11h35

Latam é autuada por impedir passageira com autismo de embarcar em voo

"Entrei na fila preferencial e uma atendente me abordou perguntando o motivo de estar ali. Expliquei que era autista e fui impedida de embarcar"

Foto: Reprodução/G1-PE

A violinista Uli Firmino Ary, de 26 anos, foi impedida de viajar em um avião da Latam por ser autista. Ela embarcaria em Recife e iria até Fortaleza, mas foi informada de que não poderia viajar sem acompanhante. Após o ocorrido, fiscais do Procon foram até o Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes – Gilberto Freyre e multaram a empresa por impedir o embarque, mesmo a passageira tendo apresentado um laudo médico, que comprova a capacidade de desenvolver atividades sozinha.

“Fui até o guichê solicitar que mudassem meu assento porque eu ficaria na poltrona do meio e isso iria me incomodar porque estaria ao lado de dois estranhos. Entrei na fila preferencial e uma atendente me abordou perguntando o motivo de estar ali. Expliquei que era autista e fui impedida de embarcar”, relatou Uli.

Segundo a violinista, pediram que ela preenchesse um formulário padrão de informações médicas para viagens aéreas (Medif) e entregasse o documento junto com um laudo médico constando o diagnóstico de autismo. “Sai do aeroporto e fui atrás de um laudo médico. Quando voltei, não autorizaram meu embarque. Sempre viajei sozinha e nunca tive esse tipo de problema. Me senti constrangida.”

Uli teria uma cirurgia agendada em Fortaleza e por não ter conseguido embarcar, acabou perdendo. A advogada dela Taísa Guedes Noronha diz que será ingressada uma ação contra a Latam.

“O diagnóstico de Uli é de autismo leve de alto desempenho, o que permite a ela ter uma vida independente, com autonomia para estudar e trabalhar. Além de denunciar o caso de discriminação, estamos entrando com uma ação por danos morais e materiais”, afirmou Taísa ao Diário de Pernambuco.

De acordo com o G1, a professora do Núcleo de Educação Musical Inclusiva do Conservatório Pernambucano de Música (CPM) e amiga da família de Uli Firmino, Daniela Genuíno, estava com a jovem no momento do embarque.

“Uli queria falar, mas a dificuldade de comunicação faz parte do autismo. A mulher se reportava muito a mim e pedia para falar com a mãe de Uli e eu dizia que ela podia resolver com a gente. Uli estava ali também, mas a supervisora não deu a oportunidade de ela falar. Foi inadmissível”, contou Daniela ao G1.

Em nota, a Latam Airlines Brasil informou que “não houve qualquer tipo de discriminação no atendimento à passageira e que qualquer prática ofensiva não reflete os valores da empresa. A companhia se sensibiliza com o ocorrido e informa que se manteve mobilizada para o embarque da passageira. A empresa ainda reforça que seus procedimentos estão de acordo com as regras vigentes do setor e têm como objetivo resguardar o bem-estar e a saúde do passageiro a bordo”.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum

#tags