Mãe de Miguel não sabia que era funcionária registrada na prefeitura de Tamandaré

Prefeito teria usado recursos públicos para pagar o salário de Mirtes Renata Santana de Souza, que prestava serviços em sua casa

Mirtes Renata Santana de Souza, que prestava serviços como empregada doméstica na casa do prefeito da cidade, Sérgio Hacker Corte Real (PSB), não sabia que era registrada com cargo comissionado na prefeitura de Tamandaré. Mirtes é mãe do menino Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos, que morreu ao cair do nono andar de um edifício de luxo no Recife, após ser negligenciado pela patroa da mãe, a primeira-dama Sari Gaspar Corte Real.

Leia também: Missa em memória de Miguel terá transmissão ao vivo; perícia voltou ao prédio onde menino caiu

Mirtes disse ao UOL na manhã desta sexta-feira (5) que não sabia que o nome dela constava como funcionária da prefeitura de Tamandaré e que recebia o salário das mãos dos patrões. Ela trabalhava para a família Hacker Corte Real havia quatro anos.

“Estou surpresa com essa informação. Eu trabalhava na casa deles, a minha mãe também ia quando a família ia para Tamandaré. A gente se revezava em cuidar da casa e das crianças”, disse Mirtes.

Os dados estão no portal da transparência da prefeitura de Tamandaré e são públicos para consulta.

Mirtes tem o nome na lista de cargos comissionados da prefeitura desde 1º de fevereiro de 2017. Ela está registrada na função de gerente de divisão com lotação na manutenção das atividades de administração da prefeitura de Tamandaré. O salário para este cargo é de R$ 1.093,62, segundo os dados do portal da transparência.

Ela, no entanto, nunca cumpriu um dia de serviço na prefeitura, pois trabalhava como empregada doméstica no apartamento do prefeito de Tamandaré em Recife e também na casa dele em Tamandaré.

Na última terça-feira, ela precisou levar o filho para o trabalho porque a creche em que ele costuma ficar está com as atividades suspensas devido à pandemia do novo coronavírus.

Nota da prefeitura

A prefeitura de Tamandaré informou que o prefeito Sérgio Hacker “se encontra profundamente abalado pelo fato já noticiado pela imprensa” e que “no momento próprio e de forma oficial prestará as informações aos órgãos competentes”.

“Recebemos uma solicitação de informações pertinentes à sra. Mirtes Renata, do Ministério Público, e na próxima semana falaremos a respeito”, diz a nota.

Morte de Miguel

A morte de Miguel Santana repercute fortemente nas redes. O menino, de 5 anos, caiu do nono andar do Condomínio Píer Maurício de Nassau, após ser deixado aos cuidados de Sari, enquanto a mãe, trabalhadora doméstica, saiu para passear com os cães da primeira-dama de Tamandaré.

Mirtes Renata Souza, mãe do garoto, contou que era empregada doméstica do prefeito de Sérgio Hacker, e da sua esposa, Sari Corte Real. “Se fosse eu, meu rosto estaria estampado, como já vi vários casos na televisão. Meu nome estaria estampado e meu rosto estaria em todas as mídias. Mas o dela não pode estar na mídia, não pode ser divulgado”, desabafou.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.