Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
12 de março de 2018, 15h18

Manifestação no IFSP pede demissão do professor que proferiu declarações racistas

Alunos e docentes do Instituto Federal de São Paulo organizaram um protesto dentro do campus em repúdio às declarações do professor José Guilherme de Almeida, que havia dito que "odeia pretos e pardos falando alto"; comunidade acadêmica em geral pede sua saída

Foto: Reprodução/Facebook

Dezenas de estudantes e docentes do Instituto Federal de São Paulo (IFSP) realizaram, por volta das 12h desta segunda-feira (12), uma manifestação dentro do campus, em frente à diretoria, contra as declarações racistas do professor José Guilherme de Almeida.

Conforme noticiado pela Fórum no sábado (10), o docente, que é professor e pesquisador na Diretoria de Humanidades do IFSP, fez uma postagem de cunho racista em que afirma que “odeia pretos e pardos”. “Horror de turismo. Odeio pretos e pardos falando muito e comendo de tudo por muito tempo, em bandos, nos hotéis três estrelas de orla de praia! Um café da manhã macabro com tanta algazarra e gulodice. Alguém consegue comer carne de sol logo cedo lotando o prato por 3 vezes? Eles conseguem, todos! Queria ser muito rico e ter o café no meu quarto sempre nu e escutando Mozart”, havia escrito Almeida, que estava em viagem no Nordeste.

Após a repercussão negativa, o professor excluiu a postagem e seu perfil no Facebook.

Nesta segunda-feira (12), o Instituto Federal de São Paulo se manifestou sobre o caso, por meio de nota, afirmando que “repudia quaisquer formas de preconceito e discriminação dentro ou fora de seus muros, seja por parte de um servidor ou de outro cidadão. A Instituição se compromete com a construção de uma sociedade plural e de múltipla representatividade. Nesse sentido, vale lembrar que o IFSP mantém grupos de debates, abertos à comunidade interna e externa à Instituição, que abordam tais temas em sua agenda”.

A nota do IFSP, no entanto, não faz qualquer menção a medidas que possam ser tomadas com relação ao professor. E foi exatamente essa a demanda cobrada por alunos e professores no protesto desta segunda-feira. Com faixas e cartazes, os estudantes e docentes pediam a implementação de “políticas antirracistas, já”, além da demissão de Almeida. Também foram impressos e distribuídos cartazes com o “print” da postagem racista do professor com a frase “professores racistas não passarão”.

Além da manifestação, foram divulgadas cartas de repúdio ao racismo em ambiente educacional. Uma delas é a do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (NEABI) do IFSP. A outra é dos professores em licenciatura em Geografia do Instituto. [Confira a íntegra de ambas ao final desta nota]

O professor em questão, por sua vez, procurou a Fórum para enviar um pedido de desculpas pelo gesto que ele mesmo assume que “foi, sim, racista”. “Não quero me justificar, nem me estender. Quero apenas pedir perdão”, diz. Confira a íntegra de sua carta de desculpas aqui.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum