Fórumcast #20
03 de julho de 2017, 12h22

Médico é condenado por danos morais após diagnóstico errado de sífilis em grávida

O erro do diagnóstico causou o fim do casamento por suspeita de traição, já que a doença é sexualmente transmissível.

O erro do diagnóstico causou o fim do casamento por suspeita de traição, já que a doença é sexualmente transmissível.

Da Redação*

Após o parto, uma mulher foi informada por um médico, São Carlos (SP), que tinha sífilis. A mãe e o bebê teriam que passar por tratamento para a doença. Onze dias depois foi comprovado que o diagnóstico estava errado, mas já era tarde. Seu marido a abandonou, por suspeita de traição, já que a doença é sexualmente transmissível.

O caso aconteceu em 2009 e o médico acaba de ser condenado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) a pagar R$ 20 mil de danos morais.

Segundo a família, o médico não fez a ressalva de que o exame poderia ser inconclusivo e de que o diagnóstico dependeria de novas análises clínicas. Eles também disseram que o profissional comunicou o resultado na frente de outras pessoas que estavam no quarto com a mulher.

Erickson Gavazza Marques, desembargador da 5ª Câmara de Direito Privado, manteve a sentença da 4ª Vara Cível de São Carlos e disse que ficou caracterizado o erro no diagnóstico e o dano psicológico causado à paciente e sua família. “Não se pode deixar de reconhecer que o diagnóstico equivocado e a ausência das devidas informações ou mesmo a divulgação do diagnóstico à paciente antes da contraprova gerou dano moral, pois houve suspeita de traição que levou os autores até mesmo a romper o relacionamento”.

Veja também:  UNE promete novo tsunami da educação nesta terça-feira

*Com informações do Estadão

Foto: Commons

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum