sábado, 24 out 2020
Publicidade

Meia tonelada de peixes aparece morta em praia no Alagoas

Pescadoras denunciaram caso ao MP e pesquisadores da UFAL investigam o que teria ocorrido na água

Em três quilômetros da praia da Ilha da Crôa, em Barra de Santo Antônio (AL), cerca de meia tonelada de peixes apareceu morta nos últimos dois dias. O caso foi denunciado ao Ministério Público nesta sexta-feira (25) pela Rede de Mulheres Pescadoras da Costa dos Corais e está sendo investigado por pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

Segundo informações da jornalista Aliny Gama, no Portal Uol, o caso ocorreu na Área de Proteção Ambiental (APA) da Costa dos Corais, que seria considerada a maior unidade de conservação federal da marinha costeira do Brasil. Peixes de cinco espécies foram afetados, a grande maioria manjuba ou aranque.

Integrantes da Pesquisa Ecológica de Longa Duração da Costa dos Corais (Peld), da UFAL, coletaram amostras da água para analisar o que teria ocorrido e deve apresentar um laudo em 15 dias.

“Com base na experiência que temos, relacionamos o evento com fatores contaminantes mais a somatória de esgotos, uso de agrotóxicos e fertilizantes. A espécie mais atingida foi a manjuba por ser a mais frágil. Colhemos amostras dos peixes e da água para determinar com precisão o que ocorreu para essa quantidade de peixes mortos de uma só vez”, disse engenheiro de pesca e biomédico Emerson Soares, professor da UFAL e coordenador da Peld. Ele afirmou que a Peld monitora dez rios da região desde o derramamento de óleo, ocorrido no ano passado.

A pescadora Ana Paula de Oliveira Santos, 48, coordenadora da Rede de Mulheres Pescadoras, disse que não é a primeira vez que ocorre uma grande mortandade na região. “Queremos, de fato, que as análises da água e dos peixes mortos sejam apresentadas à comunidade pesqueira, e também que os órgãos fiscalizadores descubram os culpados e haja a devida punição. Não podemos viver esse problema todo ano. Denunciamos esse crime ambiental ao Ministério Público Federal”, declarou.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.