terça-feira, 29 set 2020
Publicidade

Menina de 19 anos morre após tiros de guarda que apurava denúncia de festa clandestina, no interior de SP

Uma ação da Guarda Civil Municipal (GCM) de Rio Claro, no interior de São Paulo, contra uma festa clandestina, terminou em morte na madrugada deste domingo (2).

Os guardas apuravam uma denúncia de festa clandestina com aglomeração, que estaria desrespeitando as regras de isolamento social impostas na cidade, e dois jovens foram atingidos por disparos feitos por um dos agentes. Gabrielli Mendes da Silva, de 19 anos, não resistiu e morreu. José Felipe de Lima Verneck, de 29 anos, também foi atingido e encaminhado a um hospital – seu estado de saúde não foi divulgado.

O guarda responsável que portava a arma dos tiros que atingiram os jovens alegou disparo acidental quando foi colocar munição de borracha. Ele não teve o nome revelado.

“A respeito da ocorrência acontecida nessa noite atendida pela GCM, lamentamos muito essa fatalidade. O fato será apurado pela Polícia Civil e julgado pelo Judiciário. Na corporação, será instaurado Inquérito Administrativo para apurar a conduta técnica do GCM com relação ao emprego dos procedimentos operacionais. Não podemos, nem devemos fazer julgamentos precipitados. Até que as investigações terminem, o GCM está afastado das atividades operacionais. O que estiver de acordo com a Lei, será cumprido”, escreveu a GCM de Rio Claro em nota.

A Polícia Civil, por sua vez, informou que seu compromisso é “apurar por completo os fatos ocorridos de forma que a lei penal possa ser aplicada nos exatos termos correspondentes”.

O guarda está preso provisoriamente e a arma foi apreendida para análise.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.