Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
06 de fevereiro de 2020, 17h09

“Minha avó é negra”: Estudante ruivo usa cota racial para entrar em universidade na Bahia

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia apura o caso de um estudante ruivo e de pele clara que entrou para o curso de Medicina usando o sistema de cotas raciais; ele se considera pardo pois sua avó era negra. Denúncia foi feita por um candidato negro que não foi selecionado

Reprodução

A Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) vem apurando, ao longo dos últimos dias, o caso de um estudante ruivo e de pele clara que ingressou no curso de Medicina da instituição utilizando o sistema de cotas raciais.

O caso veio à tona após a denúncia de um candidato negro que ficou em sexto lugar e acabou não sendo selecionado pelo sistema de cotas, que conta com cinco vagas na universidade.

Michelson Medonça da Silva, de 38 anos, o ruivo, prestou o vestibular em 2019 utilizando o sistema de cotas pois, segundo ele, se considera pardo, afinal sua avó é negra e ele seria o único ruivo da família. “A questão étnico-racial é de identidade cultural, de como a pessoa se vê em sua comunidade. Em minha parte, não há nada ilegal, fiz tudo baseado no edital [do vestibular da Uesb], já esclareci à universidade. Não tenho o que temer disso aí”, disse à Folha de S. Paulo.

O edital do vestibular da Uesb exige que o candidato preencha um formulário durante a matrícula, sem exigir, no entanto, uma verificação presencial para confirmação, o que abre margem para fraudes. Foi por este motivo que a Universidade Federal da Bahia (UFBA), por exemplo, determinou que  “a verificação é pelo caráter fenotípico, não é ascendência, pois entende-se que, no campo das relações sociais no Brasil, a questão do racismo focado no fenótipo é muito mais forte do que o racismo calcado em origem ou outros elementos, como religião e cultura”.

Em nota, a Uesb declarou que “um processo administrativo está em andamento para apurar o caso, no qual os interessados já foram ouvidos e a denúncia está sob análise da Procuradoria jurídica”.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum