Fórumcast, o podcast da Fórum
05 de setembro de 2019, 07h08

Moro manda PF investigar filme caseiro de ficção do YouTube sobre sequestro da filha para libertar Lula

Na descrição do filme, os autores escrevem que a peça é uma apologia ao pacifismo, à civilização e à democracia. "O filme critica, esculacha e repudia a luta armada, se alguém não conseguiu entender o óbvio", completam

Cena do filme "Operação Lula Livre". (Foto: Reprodução/YouTube)

O ministro da Justiça, Sergio Moro, mandou a Polícia Federal investigar os autores de um curta-metragem caseiro de ficção, chamado “Operação Lula Livre”, que conta a história de um casal que sequestra a filha do ex-juiz, retratado como “Sergio Mauro”, em troca da libertação do ex-presidente Lula, identificado como “Luiz Jararaca da Silva”. O curta, de 14 minutos, foi publicado no canal Cactos Intactos do YouTube em 20 de agosto, mas não está mais no ar.

Se você curte o jornalismo da Fórum clique aqui. Em breve, você terá novidades que vão te colocar numa rede em que ninguém solta a mão de ninguém

Na abertura do filme, dois personagens levam uma adolescente vestida com uma camiseta do Brasil dentro do porta-malas de uma caminhonete para um esconderijo. Bandeiras e cartazes com dizeres de “Lula Livre” e “Fora Bolsonaro” estão pregados nas paredes do local.

Os sequestradores, que se tratam como “companheiros”, acompanham a repercussão do sequestro pelo noticiário: “Foi sequestrada essa manhã, a filha do ministro da insegurança, Sergio Mauro. Os sequestradores exigem a libertação imediata do ex-presidente Luiz Jararaca da Silva”.

Em conversas com a adolescente, o casal cita os diálogos atribuídos ao ex-juiz e a procuradores da força-tarefa da Lava Jato divulgados pelo site The Intercept Brasil como prova da inocência do ex-presidente e pedem que o ministro conceda o exílio para Lula, preso na sede da PF em Curitiba.

O filme
Na descrição do filme, os responsáveis dizem que a peça é uma apologia ao pacifismo, à civilização e à democracia. “O filme critica, esculacha e repudia a luta armada, se alguém não conseguiu entender o óbvio”, completam.

No canal dos responsáveis, atualmente consta apenas vídeos com leituras do roteiro do filme. O link que levava ao curta-metragem diz que o vídeo está “indisponível”. Outros canais, no entanto, já copiaram e subiram a produção. Veja abaixo:

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum