Mourão sobre assassinato no supermercado: “Não foi racismo. Não existe isto aqui”

“Não. Para mim, no Brasil não existe racismo. Isso é uma coisa que querem importar aqui para o Brasil, não existe aqui”, disse

Apesar de considerar “lamentável” o brutal assassinato de João Alberto Silveira Freitas, um homem negro de 40 anos, espancado até a morte por dois seguranças brancos em uma loja do Carrefour de Porto Alegre, vice-presidente Hamilton Mourão disse não ver racismo no caso, porque, de acordo com ele, não há racismo no Brasil.

“Lamentável. A princípio, a segurança (estava) totalmente despreparada para a atividade que tem que fazer”, disse o vice-presidente, ao chegar no Palácio do Planalto no início da tarde desta sexta-feira.

Questionado se via racismo no caso, respondeu que isso é algo que tentam “importar” para o Brasil:

Perguntado se via racismo no caso, respondeu: “Não. Para mim, no Brasil não existe racismo. Isso é uma coisa que querem importar aqui para o Brasil, não existe aqui”.

“Eu digo para você com toda tranquilidade: não tem racismo. Eu digo isso para vocês porque eu morei nos Estados Unidos. Racismo tem lá. Eu morei dois anos nos Estados Unidos. Na minha escola, que eu morei lá, o pessoal de cor, ele andava separado. Eu nunca tinha visto isso aqui no Brasil”, completou o vice-presidente.

Com informações do Globo

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.