domingo, 20 set 2020
Publicidade

MST e Petroleiros doam 15 toneladas de alimentos e 520 botijões de gás em Curitiba

Por Lucas Souza

De acordo com o anuário 2020, divulgado pela Fundação Abrinq, nove milhões de crianças e adolescentes vivem em situação de extrema pobreza no País. Ao mesmo tempo, segundo o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), responsável pelos recursos da alimentação escolar, 41 milhões de estudantes são beneficiados pela merenda em todo o Brasil, que neste momento está com a realização afetada pela pandemia do novo coronavírus.

É dentro deste cenário de agravamento dos problemas sociais que o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) vem organizando doações de alimentos em todo território nacional. Desta vez, a comunidade rural Maila Sabrina, localizada no município de Ortigueira, no interior do Paraná, organizou a doação de 15 toneladas de alimento. Além disso, o Sindicato dos Petroleiros do Paraná e Santa Catarina (Sindipetro-PR/SC) arrecadou 520 cargas de gás de cozinha.

A doação do gás, arroz, feijão, frutas, legumes, hortaliças e ainda 700 pães foi realizada neste sábado (13) em comunidades que vivem em vulnerabilidade social Sabará, do bairro Cidade Industrial; o Jardim Santos Andrade, no Campo Comprido; a Vila 23 de Agosto, no Osternak; e vila Portelinha, no Santa Quitéria, da cidade de Curitiba.

“A lógica da doação é de cada familiar dar um pouco”, conta a produtora rural Jocelda de Oliveira, integrante da coordenação da comunidade Maila Sabrina. No acampamento, as 370 famílias praticam a produção de subsistência, isto é, produzem uma quantidade para o consumo próprio. Elas organizaram a própria produção para dividir um parte com as famílias que sofrem com a fome, agravada pela crise do novo coronavírus. Esta é a segunda doação da comunidade, que em abril deste ano doou 14 toneladas de alimento.

Já as 500 cargas de gás de cozinha, partem de uma mobilização do Sindipetro, entre os trabalhadores da categoria, que exigem preço justo desse produto.”Nossa ideia, de além de ajudar quem mais precisa nesse momento, é trazer a discussão do preço deste insumo tão importante para as famílias e que desde 2017 vem sofrendo aumento de preços abusivos”, diz Alexandro Guilherme, presidente do Sindipetro PR/SC. No último dia 25 de maio a Petrobras anunciou um reajuste de 5% no preço do item. Na capital do Paraná, o botijão de 13 quilos de gás custa entre R$ 60 e R$ 80.

A doação de alimentos deste sábado faz parte de uma campanha nacional do MST em solidariedade às famílias urbanas que enfrentam a fome neste período de pandemia da covid-19. No Paraná, foram doadas mais de 183 toneladas de alimentos, a maior parte produzida sem agrotóxicos e vindas de pelo menos 100 acampamentos e assentamentos do estado.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.