Multidões, fortuna e fama estrondosa: A carreira meteórica da jovem Marília Mendonça

Com apenas 26 anos, cantora goiana conhecida como a “Rainha da Sofrência” fazia 25 shows por mês, tinha cinco milhões de seguidores nas redes e três bilhões de visualizações. Ela compunha para famosos desde os 12 anos

A cantora e compositora Marília Dias Mendonça, nascida na pequena Cristianópolis (GO) em 22 de julho de 1995, morreu num trágico acidente aéreo na tarde desta sexta-feira (5), após o avião em que ela viajava cair e se chocar contra uma cachoeira no município de Piedade de Caratinga (MG), na região do Vale do Aço. Ela tinha 26 anos e era mãe de Léo, um bebê de apenas um ano.

Notícias relacionadas

Marília iniciou sua carreira musical com apenas 12 anos, compondo algumas das letras mais famosas do mundo sertanejo, como “Minha Herança”, de João Neto e Frederico, “Muito Gelo, Pouco Whisky”, de Wesley Safadão, “Até Você Voltar”, “Cuida Bem Dela” e “Flor e o Beija-Flor”, interpretadas por Henrique e Juliano, “Ser Humano ou um Anjo”, cantada por Matheus e Kauan, “Calma”, gravada nas vozes de Jorge e Mateus, e “É Com Ela Que Eu Estou” do também falecido Cristiano Araújo, vítima de um acidente automobilístico em 2015.

Em 2014, aos 19 anos, lançou-se na carreira como cantora e gravou um EP que levava seu nome. Dois anos depois, em 2016, produziu “Marília Mendonça: Ao Vivo”, em parceria com outros grandes nomes do gênero. A superprodução alçou a jovem ao estrelato e, a partir daí, suas andanças pelo Brasil passaram a ser acompanhadas de multidões de fãs.

Uma das cantoras mais bem pagas do país, antes da pandemia, um show seu custava R$ 350 mil e eram pelo menos 25 apresentações por mês. Sites especializados em celebridades repercutiam a fortuna que Marília movimentava com sua arte, algo em torno de R$ 10 milhões mensais, sem que, contudo, deixasse o jeito simples, divertido e atencioso que marcava sua relação com admiradores e com a imprensa.

A sempre bem-humorada, Marília Mendonça também era um fenômeno na internet, com mais de cinco milhões de seguidores em seus perfis oficiais em várias redes. Seus sucessos da “sofrência”, que reverberavam Brasil afora consolando os apaixonados não correspondidos, têm mais de três bilhões de visualizações no YouTube, um dado impressionante, que a coloca como uma das personalidades da música mais ouvidas e assistidas do planeta.

Em dezembro de 2019 deu à luz ao primeiro filho, Léo, fruto de um relacionamento com o também cantor e compositor Murillo Huff, de quem se separou em julho de 2020, em meio à pandemia da Covid-19.

Avatar de Henrique Rodrigues

Henrique Rodrigues

Jornalista e professor de Literatura Brasileira.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR