Namorada do caso de racismo no Leblon também é demitida de escola de dança

Casal acusou falsamente um jovem negro de roubo de bicicleta. Um dos envolvidos, Tomás Oliveira, foi demitido da Papel Craft

A escola de dança Espaço Vibe, localizada no bairro de Ipanema, no Rio de Janeiro, anunciou nesta terça-feira (15) que também demitiu a professora envolvida em caso de racismo ocorrido no Leblon, no último sábado (12). A moça, que não teve o nome revelado, estava com seu namorado, o designer Tomás Oliveira, quando os dois acusaram falsamente um jovem negro de roubo de bicicleta.

Nesta terça-feira, a Papel Craft anunciou a demissão de Tomás. A estúdio de dança Espaço Vibe soltou uma dura nota em suas redes sociais anunciando a demissão da professora. A escola informa: “estamos consternados com o que tomamos conhecimento e tratando o assunto com toda gravidade que ele merece. Racismo é crime e não vamos compactuar com isso. A professora envolvida no ato foi demitida e já não faz mais parte do nosso quadro de funcionários”.

A nota diz ainda que a escola se solidariza “com o Matheus pela dor sofrida e mesmo que o gesto condenável não tenha ocorrido dentro de nosso espaço, esta é uma violência que todos temos que combater juntos”.

Leia a nota na íntegra abaixo:

Estamos consternados com o que tomamos conhecimento e tratando o assunto com toda gravidade que ele merece.

Racismo é crime e não vamos compactuar com isso.

A professora envolvida no ato foi demitida e já não faz mais parte do nosso quadro de funcionários.

Nos solidarizamos com o Matheus pela dor sofrida e mesmo que o gesto condenável não tenha ocorrido dentro de nosso espaço, esta é uma violência que todos temos que combater juntos.

Publicidade

Repudiamos veementemente toda forma de discriminação e reafirmamos que o Vibre é um espaço que pratica e preza pelo respeito e pela inclusão. Somos conscientes do abismo social em que nosso país se formou e o racismo estrutural que, lamentavelmente, impacta nossas relações.

Acreditamos na educação como caminho para uma tomada de consciência e buscamos cumprir esse papel como uma escola de dança que acredita na arte e na educação como instrumentos de transformação. Oferecemos bolsas de estudo desde nossa fundação, incentivando o convívio de alunos provenientes de diferentes realidades.

Publicidade

Que esse inaceitável acontecimento sirva como reflexão e gere ações afirmativas de combate ao racismo.

Equipe Vibre.

Relembre o caso:

O instrutor de surfe Matheus Ribeiro aguardava a namorada em frente ao Shopping Leblon, montado em sua bicicleta elétrica, quando foi abordado por Tomás e sua namorada, também branca. O jovem então foi acusado pelo casal de ter roubado a bike.

Diante do absurdo da cena, Matheus conta que nos primeiros momentos ficou sem reação, mas em seguida teve de provar que a bicicleta era sua.

“Fui tentar mostrar pros dois que a bicicleta é minha, com fotos antigas com ela, chave, o que foi possível naquele momento de segundo. Porém eu só consegui provar que a bicicleta é minha, quando sem minha autorização, o lindo rapaz pega o cadeado da minha bicicleta e tenta abrir”, desabafou Matheus em publicação nas redes.

Um boletim de ocorrência foi registrado por ele na segunda-feira (14).

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR