Nassif denuncia “expansão repentina dos negócios da família Dallagnol”

Reportagem do jornalista aponta que em um curto espaço de tempo, a família do ex-coordenador da Lava Jato em Curitiba abriu várias empresas e adquiriu imóveis de luxo na capital paranaense

O ex-procurador e ex-coordenador da Operação Lava jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, que se filiará em dezembro ao Podemos para disputar uma vaga na Câmara dos Deputados em 2022, esbanja uma fortuna considerável.

Uma das especulações sobre sua saída do Ministério Público dava conta que ele teria dificuldades em explicar o aumento patrimonial ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), segundo reportagem do jornalista Luis Nassif, do GGN.

Ele denuncia, neste domingo (28), “a expansão repentina dos negócios da família Dallagnol”.

“Em setembro de 2018 – em pleno apogeu da Lava Jato – Deltan comprou um apartamento em um prédio de luxo de Curitiba, um por andar, pelo valor de R$ 1,8 milhão, pago em duas parcelas”, destaca Nassif.

“No dia 12 de julho passado, a esposa de Dallagnol arrematou um segundo apartamento no mesmo edifício. Pagou R$ 2,1 milhões em um leilão judicial”, acrescenta o jornalista. 

Nassif diz, ainda, que especulava-se como ele iria bancar suas despesas, já que apenas com condomínios dos dois apartamentos o valor era superior a R$ 10 mil mensais.

“Boatos que correram em Curitiba davam conta que ele teria adquirido quatro franquias da Hering para sua esposa. Os boatos podem ter nascido das atividades de sua irmã, Édelis Martinazzo Dallagnol”, afirma o jornalista.

Édelis é gestora da Hering Kids de Curitiba. “Na página da empresa, fica-se sabendo que se trata de uma ‘extensão infantil da renomada Hering, voltada ao público de 0 a 16 anos’”.

Publicidade

A irmã de Dallagnol, na rede social, disse ter começado a trabalhar na empresa em julho de 2021. Um mês antes, o pai e a mãe do ex-procurador, Agenor Dallagnol e Vilse Salete Martinazzo Dallagnol, abriram cinco empresas diferentes.

Esposa do ex-procurador abre empresa com capital social de R$ 110 mil

No mesmo período, a esposa de Deltan Dallagnol, Fernanda Mourão Ribeiro Dallagnol, também abriu uma empresa, a Delight Consultoria Gerencial e Empresarial Eirelli, com capital social de R$ 110 mil.

Publicidade

Além disso, ela “adquiriu em leilão da Caixa Econômica Federal um imóvel de escritório, no Edifício Vega Business Center, pelo valor de R$ 143 mil. Todos esses negócios realizados em um mesmo curto espaço de tempo”, conta Nassif.

A família Dallagnol também tem relações com Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Há, inclusive, uma ação do instituto contra Agenor, em processo no Tribunal Regional Federal da 1ª Região, pronta para decisão.

Nassif lembra, também, que “no material divulgado pela Vaza Jato, Deltan antecipava seus planos de montar novos negócios em nome de terceiros, para não despertar críticas. Ele e o colega Roberto Pozzobon montaram um grupo de WhatsApp exclusivamente para discutir os novos negócios. Nas discussões planejam uma empresa de eventos, mas colocado em nome das esposas”.

Leia matéria completa no GGN

Avatar de Lucas Vasques

Lucas Vasques

Jornalista e redator da Revista Fórum.