ESCÂNDALO: No ar sem saber, Bolsonaro dá “aula” de como receber propina

Presidente achava que estava em off e explicou como é que faria para receber notas de R$ 100 em caixa de sapato. "Pra mim é fácil", disse o presidente, que parou de falar quando ia revelar "quanto custa uma vaga no STF"

Publicidade

O presidente Jair Bolsonaro foi traído pela confiança na tarde desta quarta-feira (27). Durante uma entrevista a uma rádio com transmissão simultânea pela internet, no momento do intervalo comercial da emissora, mas não das imagens online, que seguiam no ar, ele começa uma conversa informal, e confusa, em que inicia falando da tarifa dos pedágios, para, na sequência, “explicar”, como numa “aula”, como é que se recebe propina sem ninguém ficar sabendo.

“O pedágio de moto no Paraná é R$ 9. Agora, o que eu apanho por causa disso… Pra mim é fácil… ‘Manda um sapato número 43 pra mim, meu número aqui, tá? Um beijo! Pronto, resolveu! Chega o sapato número 43 cheio de notinha de R$ 100 verdinha dentro”, falou Bolsonaro, sem rodeios ou meias palavras.

Publicidade

Na sequência, o ocupante do Palácio do Planalto começa a falar do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmando que as cadeiras na corte constitucional estariam à venda e que teriam preço. A conversa, no entanto, não chega ao fim.

“Quanto vocês acham que custa uma… Presta a atenção, pessoal! Quanto vocês acham que custa uma vaga pro Supremo Tri…”, segue o presidente, que se cala, com ar de susto, ao perceber (ou ser alertado) que estava no ar.

Publicidade
Publicidade

Notícias relacionadas

Veja o vídeo:

Na Jovem Pan, Bolsonaro abandona entrevista

Também nesta quarta-feira (27), Bolsonaro concedeu entrevista à rádio Jovem Pan. Depois de uma forte discussão entre os comentaristas Adrilles Jorge, apoiador de Bolsonaro, de André Marinho, filho do empresário Paulo Marinho (PSDB-RJ) e hoje desafeto do presidente, Bolsonaro decidiu abandonar a entrevista.

Publicidade
Publicidade

Marinho havia questionado o presidente em relação ao esquema de rachadinhas, tema bem conhecido por Bolsonaro, diante das acusações recebidas por seu filho, o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), de utilizar essa prática enquanto era deputado estadual.

“O PT não pode voltar. Então, por favor, responda à pergunta que te fiz, cara. Por quê? Só quer pergunta de bajulador?”, afirmou Marinho ao presidente.

Publicidade

Adrilles respondeu, aos gritos, que Marinho estava se referindo a ele como bajulador e passou a gritar. Bolsonaro tentava falar, mas não conseguia, diante da confusão. Então, levantou e deixou o local onde concedia a entrevista.

Veja o vídeo aqui

Publicidade

Paulo Marinho, pai de humorista da Jovem Pan, ameaça Bolsonaro

Após o ocorrido na Jovem Pan, o empresário Paulo Marinho, suplente de Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) no Senado, mandou um recado com tom de ameaça a Jair Bolsonaro. Rachado com o presidente desde o primeiro ano do governo, Marinho citou o ex-ministro Gustavo Bebianno ao comentar a forma como o chefe do Executivo reagiu diante de uma pergunta sobre rachadinhas feita por seu filho, André Marinho, em entrevista à Jovem Pan.

Marinho se disse “absolutamente surpreso” com a forma como Bolsonaro tratou seu filho e disparou: “Você lembra do nosso amigo Gustavo Bebianno? Talvez você já tenha esquecido. Mas ele não lhe esqueceu, pode ter certeza disso. Quando você estiver chorando no banheiro do palácio, lembre disso, ele não lhe esqueceu”.

Avatar de Henrique Rodrigues

Henrique Rodrigues

Jornalista e professor de Literatura Brasileira.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR