Para Grupo Gay da Bahia assassinato de designer em Salvador foi motivado por homofobia

O local onde o corpo foi encontrado é conhecido por encontros casuais para sexo entre homens

Foi encontrado pela família nesta quarta-feira (30), no Instituto Médico Legal Nina Rodrigues, em Salvador (BA), o corpo do designer gráfico Wendel Moura, de 35 anos, que estava desaparecido desde segunda-feira.

Wendel havia saído para pedalar e não retornou para casa. Seu corpo tinha marcas de tiro. Dois suspeitos foram detidos nas imediações por porte ilegal de armas.

Para o Grupo Gay da Bahia (GGB), Wendell foi vítima de crime de homofobia. O local onde o corpo foi encontrado é conhecido por encontros casuais para sexo entre homens – “pegação”.  “Uma coisa é certa, a vítima era homossexual. O local onde ele foi achado, o horário, tudo leva a um crime que foi por homofobia. Mesmo que a vítima não tenha praticado sexo, mas tem bandidos que sabem a situação daquela área e vão lá para arrochar as pessoas, roubar”, disse Marcelo Cerqueira do GGB. 

A Polícia Civil (PC), no entanto, afirma que o caso ainda não tem motivação e autoria, mesmo com a apresentação de dois suspeitos. Sobre o possível envolvimento deles na morte de Wendell, a polícia respondeu que a “participação no fato em si, não foi comprovada nesse momento”. O caso é investigado pela 2ª DH/Central. 

Com informações do Correio 24 Horas

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.