Pastoral da Terra denuncia: prisão do padre Amaro Lopes é armação

Sacerdote era braço direito da missionária Dorothy Stang, assassinada por fazendeiros em 2005, e considerado seu “sucessor”

Foto: Reprodução/TV Liberal

Na avaliação da Comissão Pastoral da Terra (CPT), a prisão do padre José Amaro Lopes da Silva, na última terça-feira (27), em Anapu-PA, é vista como armação, com o objetivo de criminalizar a luta do sacerdote. Segundo informações da Rede Brasil Atual, de acordo com a CPT, a motivação do ataque é pelo fato de o religioso ser uma das principais lideranças da equipe pastoral da Prelazia do Xingu.

“A gente acredita que é armação, porque ele é um exemplo de vida inquestionável, com seu compromisso histórico em defesa da justiça e do povo. Sabemos do contexto de conflito de interesses onde ele trabalha e querem criminalizá-lo como líder e a sua luta”, destaca Tiago Valentim, da coordenação do CPT, em entrevista à Rádio Brasil Atual, nesta quinta-feira (29).

Amaro era braço direito da missionária norte-americana Dorothy Stang e considerado seu “sucessor”. Stang foi executada a mando de fazendeiros em 2005. “Vamos empenhar os esforços para mostrar que lutar não é crime e que a história do padre Amaro é de compromisso com o povo camponês”, acrescenta Tiago.

O sacerdote foi preso após mandado judicial expedido para investigação de crimes de extorsão, ameaça, assédio sexual e ocupação violenta de terras. Ainda de acordo com Tiago, os depoimentos dados por fazendeiros para incriminá-lo são consequência do compromisso de Amaro com a população local. “Essa estratégia de fazer essas diversas acusações não é nova, ele não é o primeiro que tentam criminalizar. Ele está numa região de muito conflito onde as comunidades sofrem sem ter seus direitos garantidos”, explica.

 

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR